DPF e PCDF: Aumento às escondidas?

4
11401

Uma MENSAGEM CIRCULAR transmitida a todas as Diretorias e Superintendências Regionais da Polícia Federal e assinada pelo Delegado Leandro Daiello Coimbra que circula pelas redes socais, traz em seu conteúdo informações de que houve um acordo para um possível reajuste salarial nos subsídios para a classe, o que também contempla a Polícia Civil do Distrito Federal.

Segundo a CIRCULAR, desde fevereiro as tratativas foram intensificadas e debatidas exaustivamente e os “excelentes trabalhos profissionais dos servidores policiais do DPF foram devidamente reconhecidos pela presidente da república e sua equipe de governo”, diz a nota.

Diz ainda a nota: “Conclamamos os servidores a manter o bom nível de desempenho profissional nas atividades policiais para que possamos manter nossa credibilidade junto ao poder executivo, possibilitando o atendimento de futuras reivindicações”.

Pela tabela anexa, um delegado especial passará ainda em 2016 dos atuais R$ 22.805,00 para R$ 25.858,59, enquanto um agente especial saltará dos atuais R$ 13.756,93 para R$ 15.513,69. Os reajustes, que chegarão ao total de 47,07% de aumento, irão contemplar as classes até 2019 quando um delegado especial estará recebendo R$ 33.538,35 e um agente especial R$ 22.346,14. (Vide tabelas abaixo)

No momento em que servidores civis e militares estão sob o fantasma da aprovação de dois Projetos de Lei do Executivo, PLP 257/2016 e PL 3123/2015, que arrocham e retiram direitos dos trabalhadores, em especial dos policiais militares, é no mínimo suspeita a sensibilidade da Presidenta com uma única classe de servidores.

Vamos aguardar os resultados. Estaremos atentos e de olho.

Por Poliglota…

PCDF e DPF (2)

4 COMENTÁRIOS

  1. Nobre amigo Marcos, sou policial há 30 anos e não me arrependo de nenhum desses anos. Mas te faço uma proposta: Troque comigo seu contracheque…se no final você achar que ganhou benefícios mais do que perdeu, fico calado. Para com isso guerreiro, a grama do vizinho é sempre melhor, desde que esteja verde

  2. Os Delegados Federais, na verdade, receberiam aquém da remuneração usual da carreira nos últimos vinte anos se fechassem esse acordo. Vão ganhar menos do que deviam. O valor correto, conforme cálculos feitos por peritos contábeis, seria algo em torno de R$ 32.000,00 para janeiro de 2017. A tabela anunciada, se de fato foi negociada nesses termos, já está defasada e eles saíram no prejuízo. Os Defensores da União estão negociando algo em torno de 31 mil reais e é carreira jurídica paritária à AGU e ao Delegado Federal, com a diferença que o Delegado tem o fator risco da atividade e é carreira de Estado, o que sempre os posiciona como o salário mais alto das carreiras do Executivo no Brasil. O Delegado Federal pode ser convocado a prestar serviços no exterior junto a uma embaixada, sendo essa uma característica das carreiras de Estado. É o único cargo da segurança pública que é dotado desse encargo, por isso é diferenciado do Delegado de Polícia comum. O Governo está ciente de que os valores negociados foram abaixo do que seria devido aos Delegados e aos demais integrantes das carreiras da PF, mas toda negociação envolve risco e é isso mesmo. Dados extraídos de uma pesquisa realizada pelo Poder Executivo são interessantes: o nível intelectual dos integrantes da PF é estatisticamente o mais alto do país por órgão. Todos possuem curso superior. Quase 90% domina bem um idioma estrangeiro e quase 100% possui pós-graduação. Não é a toa que fazem o serviço excepcional que estão fazendo. Estão todos de parabéns e somos gratos a eles por conseguir o que o Ministério Público não conseguiu desde a promulgação da constituição: enfrentar a corrupção nos altos escalões. Sou administrador público e tenho relativo acesso a esses dados. Esse é um concurso que eu gostaria de prestar, se fosse graduado em Direito.