Após restringir uso, PMDF prevê R$ 5 milhões para manutenção de Pajeros

0
1215
Carro da Polícia Militar após capotagem em perseguição no Setor Bancário Norte, em Brasília (Foto: TV Globo/Reprodução)

Corporação chegou a anunciar ‘aposentadoria’ de veículo após acidentes. Automóveis foram comprados em 2012 por R$ 43,9 milhões, diz tribunal.

A Polícia Militar do Distrito Federal assinou contrato de R$ 5,2 milhões para a manutenção corretiva e preventiva de 378 carros do modelo Pajero. A corporação chegou a anunciar em 2015 a retirada desse tipo de veículo de circulação, após registrar diversos acidentes com veículos do tipo. Pouco depois, a PM voltou atrás e decidiu restringir o uso dos carros de grande porte aos batalhões de trânsito, comunitários e escolar – que não trafegam em alta velocidade.

Os detalhes do contrato foram publicados nesta quarta-feira (4) no Diário Oficial do DF. Em um ano, a previsão da PM é de gastar R$ 4,6 milhões com peças e R$ 584,6 mil nos serviços. O G1questionou a decisão, mas foi informado pela corporação de que não havia ninguém para responder a demanda no período da manhã.

saiba mais

PM do DF restringe uso de viaturas ‘altas’ para evitar acidentes

PM do DF morre e três ficam feridos em capotagem após perseguição

Carros da PM capotam e deixam cinco feridos durante perseguição no DF

Viatura da PM bate em carro durante perseguição a veículo roubado no DF

Os veículos foram comprados em 2012 por R$ 43,9 milhões, com base em preços definidos por uma licitação da PM de Minas Gerais. Segundo o Tribunal de Contas, que investiga a aquisição, não houve qualquer justificativa para adotar esse tipo de veículo, que não fazia parte da frota anterior.

A apuração começou após denúncia do  Ministério Público de Contas. O órgão contestou os gastos relacionados à manutenção dos veículos.

Segundo a denúncia, o valor médio de revisão ficou em R$ 2.377,54 por carro no período da garantia. Em resposta a esse questionamento, a PM informou que o valor é “satisfatório” porque, no site da montadora, o custo das cinco primeiras revisões programadas é de R$ 4.229. O tribunal discordou do método de comparação.

Acidentes

Um policial militar do Distrito Federal morreu e outros três ficaram feridos depois que uma Pajero da PM capotou na BR-070, em trecho entre Ceilândia e Águas Lindas (GO), no dia 5 de fevereiro. O veículo bateu em um poste durante perseguição a um automóvel roubado, que rodou na pista e parou no canteiro lateral.

No mesmo dia, veículos da Polícia Militar haviam capotado e deixaram cinco membros da corporação feridos durante uma perseguição. Os militares tentavam recuperar um carro furtado, mas conseguiram prender apenas um dos três suspeitos que eram perseguidos.

Uma Pajero da Polícia Militar ficou destruída em 16 de março depois de bater em um carro enquanto perseguia um veículo roubado no Lago Sul. O casal que ocupava o automóvel atingido e três policiais foram encaminhados ao Hospital de Base com ferimentos leves e já receberam alta.

Entre abril de 2012 e fevereiro de 2016, houve acidentes com 20 carros do tipo na capital. “Estamos preocupados com a segurança do policial”, afirmou na época o chefe da Comunicação da PM, tenente-coronel Antônio Carlos Freitas.

O lote de Pajeros poderia ser usado até 2017, como prevê a lei. Em vez de comprar novos automóveis do mesmo tipo, o Comando da PM resolveu testar outro modelo. Uma comissão foi criada em janeiro para estuda a melhor opção para substituir a frota.

Carro da Polícia Militar após capotagem em perseguição no Setor Bancário Norte, em Brasília (Foto: TV Globo/Reprodução)

Fonte: Do G1 DF