Em delação premiada Ex-executivos da Andrade Gutierrez afirmam que Arruda e Agnelo receberam propinas da construtora

0
1002

Os Ex-executivos da Construtora Andrade Gutierrez, Clóvis Peixoto Primo e Rogério Nora de Sá, informaram em delação premiada aos membros da Lava Jato que José Roberto Arruda (na época do DEM) e Agnelo Queiroz (PT) receberam um percentual para a construção do monumental Estádio Nacional Mané Garrincha, de quase R$ 2 bilhões, considerado o mais caro do país.

O valor ainda mantém a arena com o status de um dos três estádios mais caros do mundo, de acordo com lista da Pluri Consultoria, publicada em 2014.

Segundo os Ex-executivos, “pagar propina por obras do governo petista (de Lula e Dilma) era regra de qualquer setor – e não uma anomalia apenas da Petrobras”.

Os outros três ex-governadores citados seriam Sérgio Cabral, do Rio de Janeiro; Eduardo Braga, do Amazonas e Omar Aziz, hoje senadores.

A Andrade Gutierrez fez parte do consórcio responsável pela construção do Mané Garrincha ao lado da Via Engenharia.

Da redação… com informações do JN