Mega operação do Governo de Brasília gera revolta nas redes sociais

0
2553
Foto: Divulgação internet

Uma determinação do Ministério Público para a retirada dos ocupantes do esqueleto do Torre Palace Hotel e a consequente reintegração de posse causou revolta e indignação nos moradores da cidade que, nas redes sociais, criticaram ferrenhamente o planejamento da operação. “Porque não fazer uma operação desse porte num final de semana onde quase ninguém trabalha e o trânsito de veículos é infinitamente inferior ao da semana”, era uma das críticas postadas nas redes sociais.

Torre Palace 2Segundo denúncias recebidas pelo blog de pessoas envolvidas na operação, cogitou-se a existência de cerca de 150 famílias, mas na realidade o que se constatou, “in loco”, foram cerca de 12 integrantes do Movimento Resistência Popular (MRP) reforçados por alguns gatos pingados usuários de drogas que faziam do local sua “boca de fumo” que unidos resistiam fazendo barricadas de pneus queimados e atirando coquetéis molotov e restos de entulhos nos policiais.

O planejamento para a execução da operação foi feito pela Secretaria de Segurança que utilizou todos os órgãos no evento (AGEFIS, DEFESA CIVIL, DETRAN, BOMBEIROS e PMDF). As 07:00 horas policiais militares já estavam nos quartéis para iniciarem a execução que somente se deu a partir das 10:30 horas. Todas as vias de acesso do Setor Hoteleiro Norte e do Eixo Monumental foram fechadas. Ontem não foi concluída a desocupação.

Segundo a Secretaria, hoje deverá ser dado continuidade à operação, sem horário definido, mas ao que tudo indica e para não causar mais danos ao trânsito da cidade, as negociações para a desocupação do Torre Palace Hotel, devem ser retomadas agora pela manhã, o que será, com certeza, mais um dia de tensão. O prédio abandonado na área central da capital continua cercado pela Polícia Militar, onde há ao menos 12 sem-teto do Movimento da Resistência Popular (MRP), que resistem dentro do prédio.

Da redação,

Por Poliglota…

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA