Projeto “BATALHÃO SOLIDÁRIO” fortalece laços de confiança com comunidades da Zona Rural do DF

0
801

Italo 1O 3º Batalhão de Policiamento Rural Sul, vem adotando um novo conceito de relação entre a PM e as comunidades de sua jurisdição. Os 70 policiais sob o comando do Major QOPM José Ítalo Soares Tomás, 42 anos, estreitam laços de amizade com a comunidade que vão além daqueles adotados nas zonas urbanas de Brasília onde a Polícia, embora nas ruas, só é notada em situação extrema. Conhecer cada morador da região, visita-lo e participar da convivência mutua é uma das grandes sacadas do Oficial PM por acreditar que essa relação mais próxima deixam todos em vantagem no combate a criminalidade.

Quem mora em comunidades rurais como o Setor Habitacional Tororó, Barreiros e Nova Betânia terá na figura de um militar, ligado ao 3º Batalhão de Policiamento Rural Sul, mais do que um simples policial: passou ser um amigo que pode ser convidado para tomar um cafezinho no meio da tarde, bater um papo ou compartilhar os momentos de alegria de uma família da região.

Esse novo conceito de integração “Polícia e Comunidade” começou a ser posto em prática pelo Major Ítalo Soares dentro do 3º Batalhão de Policiamento Rural Sul, criado no o dia 06 deste mês por meio do Decreto n 37.321, assinado pelo Governador do Distrito Federal.

Hoje, na PM, eles são três Batalhões Rurais que cuidam da Segurança na Área Rural Leste (Brazlândia , Ceilândia  e Samambaia), Área e Oeste ( Planaltina e Sobradinho ) e Área Sul que  cobre Ponte Alta Sul, Ponte Alta Norte e Casa grande, Córrego da Onça, Nova Betânia, Setor Habitacional    Tororó e  Barreiros . Antes existia apenas “Companhia”.

Apesar se ser uma área erma, no entanto, o “Batalhão Solidário” como é identificado pela população, o 3º Batalhão de Policiamento Rural Sul, faz um trabalho de Segurança Pública inestimável que as comunidades assistidas aplaudem.  O sucesso desse policiamento está na sua estreita convivência, dialogo e comunicação que adota com a população rural.

“Temos um diferencial do nosso Batalhão que é essa inteiração de amizade e conhecimento com cada cidadão e cidadã. Isso tem contribuído para que fosse reduzido drasticamente o índice de ilícitos na região por contarmos com a união de toda a comunidade no combate ao crime”, afira o Major Ítalo.

Desde que assumiu há três meses o policiamento da área rural sul, o Major vem implementado paulatinamente uma nova relação entre os seus 70 policiais e uma vasta região onde moram mais de 25 mil moradores que começam a chamar os policiais pelo nome.

 “Ao conversar com um dos nossos policiais, mesmo por telefone, o cidadão já consegue identificar com quem está falando do outro lado da linha. Acredito muito no fortalecimento dessa relação íntima entre a PM e as comunidades onde ela se insere. É um ajudando o outro e os dois ajudando na Segurança de todos”, aponta o Oficial PM

Ítalo destacou a importância dos CONSEGs (Conselho Comunitário de Segurança) como instrumento de ligação estreita entre a Polícia e a Comunidade. No caso do Policiamento Rural, jamais, segundo ele, esse trabalho de aproximação e convivência mútua com os moradores da região poderia ser feito.

“É por meio do CNSEG que ouvimos as comunidades, resolvemos as suas demandas e passamos a conhecer quem é quem. Temos tres telefones em nossas viaturas ao alcance dos moradores: 996994252 /998625328/ 9654-6490. Os grupos de whatsapp tornou-se um instrumento tão importante, quanto o 190, um dos mais antigos serviços da Policia Militar usado pela população e momento de urgência. O whatsapp é instantâneo. O grupo se mobiliza o sabe a onde está ocorrendo o ilícito e todos se unem com a polícia na captura do criminoso”,destaca.

Para o Major Ítalo, parecem ser poucos os 70 homens que tem para garantir a segurança de uma região tão vasta e tão erma como é a zona rural sul. “Mas o 3º Batalhão se torna maior e eficiente no combate a criminalidade, em toda a sua jurisdição, por contar com a ajuda da comunidade que nos informa, nos dá a direção a onde está ocorrendo o fato delituoso e nos fornecendo a característica do meliante e identificando de que forma ele está agindo. E por que o cidadão faz isso? Porque nos conhecem e nos tem como amigos tão próximo quanto o vizinho que tem” enfatiza.

Os policiais do 3º Batalhão Rural Sul, segundo o comandante, se sentem valorizados ao serem elogiados pela comunidade. “Estamos quebrando a cultura de que só se pode chamar a polícia em momento complicado. Somos convidados pelas famílias para tomar um cafezinho ou bater um papo. Julgo isso de extrema importância para a nossa missão e faz com que a Policia Militar do Distrito Federal seja sempre vista como uma polícia cidadã”, afirmou o Major Ítalo.

Batalhão Rural Sul

Comandante : Major QOPM ítalo

Efetivo : 70 Policiais Militares

Viaturas : 6 viaturas diuturnamente   .

Batalhão Rural Oeste

Comandante : Major QOPM Lisboa

Efetivo : 70 Policiais Militares

Viaturas : 6 viaturas diuturnamente .

Batalhão Rural Leste

Comandante : Major QOPM Marcelo Almeida

Efetivo : 85

Viaturas: 8 viaturas diuturnamente .

Os três Batalhões Rurais estão subordinados ao Comando de Policiamento Ambiental , tendo como Comandante Coronel Rogério .

Fonte: Radar Condominios