Rollemberg publica ‘Decreto da Mordaça’, um dia antes da paralisação dos servidores

1
1566

Em resposta ao novo atraso do pagamento das incorporações de gratificações de aproximadamente 150 mil servidores, Rollemberg responde com decreto que pune servidores que entrem em greve

Por Kleber Karpov

Às vésperas do que pode se tornar o maior movimento de greve do Distrito Federal, em decorrência da mobilização do funcionalismo público, organizada pelo Movimento Unificado em Defesa do Serviço Público, composto por entidades sindicais ligadas à Saúde, Educação e Administração Direta, o governador do DF, publicou Decreto nº 37.692, em edição extra do Diário Oficial do DF, que já despertou a fúria dos servidores públicos do DF em redes sociais e grupos de mensagens instantâneas.

Política Distrital conversou com sindicalistas e alguns parlamentares sobre a publicação do Decreto que foi considerado um “ato de um ditador” e as entidades prometem não recuarem na cobrança do pagamento das incorporações das gratificações de titulações, devidas desde setembro de 2015.

rollemberg-decreto-2

Sindate-DF

Para o vice-presidente do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (Sindate-DF), Jorge Vianna, o governo está fazendo um jogo com os trabalhadores e lembrou que o Decreto não está acima da Lei.

“Ditador. É a palavra que resume a atitude desse governador ao editar um decreto dessa natureza. Ele está finalizando o ciclo de maldades em relação ao servidor, uma vez que a única coisa que ele tem direito é o direito à greve e ele agora está coagindo os servidores. Isso é uma forma de mais uma vez, tentar intimidar o trabalhador. Só que o governador sabe da reação dos trabalhadores, qualquer ação nesse sentido vai atiçar mais a ira dos trabalhadores em relação a reação dele. Essa medida é totalmente descabida e mostra mais uma vez a falta de habilidade que eles têm. Em vez de tentar conquistar o trabalhador, de tentar negociar com o trabalhador ele prefere fazer ameaça e praticar assédio moral.”

 Aos servidores, nas redes sociais e grupos de mensagens instantâneas, Vianna lembra que o decreto não está acima da Lei e não tem efeito prático, senão, substituir decretos anteriores, além de observar o medo por parte do governo, no que tange a Saúde, uma vez que os servidores estão decididos a entregar as horas extras, em atraso desde maio desse ano.

“Esse decreto não pode estar acima da Lei. A Lei, a Constituição ela prevê que o trabalhador tenha direito a greve. Isso é uma reedição de decretos anteriores”.

Vianna observou ainda que Rollemberg se coloca perante os servidores públicos do DF como um ditador

“Ele nem chamou os sindicatos para conversar e nem negociou e soltou esse decreto, para assustar o trabalhador. Então não tenham medo pois o sindicato está firme e forte e nós nos preparamos para essa greve por 12 meses. E a guerra vai começar”, disparou em áudio publicado em grupos de mensagens instantâneas.

Sinpro-DF

Na rede social Facebook, o Sindicato dos Professores do DF (Sinpro-DF), com um título jocoso: “Decreto de Rollemberg tenta amendrontar quem nasceu lutando”, manda o recado à categoria.

“A simples edição deste ato administrativo reforça como o GDF pretende lidar com as pendências que tem junto aos trabalhadores. Quer impor medo e minar resistências, já prevendo que irá desrespeitar e desconsiderar os direitos da categoria”.

O que dizem os deputados?

Para o deputado distrital, Chico Vigilante (PT), o governador comete mais um erro pois deve apenas acirrar os ânimos dos trabalhadores.

“Esse decreto é uma grande é uma grande bobagem. No período da ditadura militar, era proibido fazer greve no Brasil, tem uma lei de greve. E os trabalhadores sempre fizeram greve no Brasil. ninguém faz greve por esporte. Faz greve pela necessidade, portanto, acho que antes de o governador baixar decreto e tentar disciplinar a greve, tem que se preocupar em atender as reivindicações, negociar com os trabalhadores. Esse tipo de decreto não resolve absolutamente nada e acirra ainda mais a disputa entre os trabalhadores e o governo. Esse decreto é uma completa falta de bom censo que não vai resolver absolutamente nada”.

Outro a reprovar a iniciativa “desastrosa” de Rollemberg foi o deputado Ricardo Vale. O distrital também mencionou a incapacidade do governo em dialogar com os servidores e a sociedade. Vale também acompanha a linha de Vigilante ao observar que o Decreto serve apenas para aumentar a revolta e piorar o atendimento dos serviços públicos do DF.

“Com esse decreto, o Governo de Brasília mostra claramente a incapacidade de dialogar com os servidores e a sociedade. Atitude como essa só vai piorar a relação com os trabalhadores. A tentativa de tolir os servidores em reivindicar seus direitos poderá ter efeito de revolta e piorar ainda mais os serviços públicos na capital da República. O governador Rollemberg continua mal assessorado. Como pode assinar um decreto desse?”.

Como assim Rollemberg?

Política Distrital entrou em contato com o GDF para questionar se o governo chegou a se atentar para o fato que com a assinatura do Decreto, podem acirrar ainda mais os ânimos dos servidores. Porém, até o momento da publicação da matéria, o blog não obteve nenhum retorno.

Aguardem mais informações

Fonte: Politica Distrital

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA