Número de homicídios no DF cai em dezembro, mas roubos aumentam

1
421

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, o resultado leva a uma taxa de 19,7 homicídios a cada 100 mil habitantes, a menor registrada no DF desde 1993

O Distrito Federal registrou 48 homicídios em dezembro de 2016, cerca de 30% a menos que no mesmo mês de 2015, quando 68 pessoas foram assassinadas. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, o resultado leva a uma taxa de 19,7 homicídios a cada 100 mil habitantes, a menor registrada no DF desde 1993.

A tendência de queda do número de assassinatos também foi registrada nos 12 primeiros dias de janeiro de 2017, com 16 homicídios contra 26 do mesmo período do ano passado. Na contramão da queda nesse tipo de crime, os casos de roubos a pedestres, ônibus, residências e de veículos subiram, segundo o governo local.

A secretária de segurança do DF, Márcia de Alencar Araújo, atribuiu a redução do número de homicídios às ações de policiamento desenvolvidas em pontos específicos do Distrito Federal. “Nós conseguimos atingir uma taxa de 23 anos atrás. Ou seja, Brasília tem hoje um índice equivalente a 1993, quando tínhamos 1,7 milhão de habitantes contra os atuais 2,9 milhões”, disse, em entrevista coletiva para a divulgação do balanço.

Roubos

Mesmo com a redução no número de homicídios, o DF registrou aumento nos crimes relacionados ao patrimônio, especialmente nos casos de roubo a pedestres, ônibus e residências. Nos casos envolvendo roubo a pedestres, a variação foi de 8,6%, com 2.927 ocorrências em dezembro de 2016. De acordo com a secretaria, na maioria das vezes, os criminosos roubam telefones celulares.

Os assaltos a ônibus aumentaram 46,6% na comparação entre dezembro de 2015 e dezembro de 2016. Foram 253 casos contra 371.

Os casos envolvendo roubo a comércios caíram 9,2% em dezembro de 2016 na comparação com o mesmo mês de 2015, de acordo com o balanço.

Nos registros de roubo a residências, os dados mostram um aumento de 12,2% na comparação entre dezembro de 2015 e dezembro de 2016. Foram 92 casos no fim do ano passado ante 82 em 2015.

Em relação aos roubos de veículos, o número de ocorrências subiu 14,9% em dezembro na comparação com 2015, com 471 casos, 61 a mais que em dezembro do ano anterior.

Já os furtos de veículos tiveram uma pequena redução de 1,8% na comparação entre dezembro de 2016 e 2016, com 962 registros contra 945.

Segundo a Secretaria de Segurança do DF, o aumento no número de roubos a residências, assaltos a pedestres e ônibus é uma tendência nacional e está relacionado aos efeitos da crise econômica. “Não é excessiva nenhuma retórica de que o desemprego e a crise econômica são fatores decisivos nos crimes contra o patrimônio. Isso é uma questão preliminar, técnica e essa é uma tendência do Brasil”, disse a secretária Márcia Araújo.

Por Agência Brasil Foto: Divulgação/Reprodução/Agência Brasília

1 COMENTÁRIO

  1. Secretaria da Maquiagem só fala o que é conveniente para fazer o filme do governador. O fantoche geral (defensor da gratificação) fala que Brasília está um mar de rosas, que a polícia está na ruas e que todos estão motivados. A verdade é que Brasília virou uma cidade muito violenta. Quer dizer que Brasília é a mesma de 23 anos atrás? É um acinte a nossa inteligência.