Efetivo da Polícia Militar ladeira abaixo

3
2931

Com a publicação hoje (25) no Diário Oficial do DF de mais 58 pedidos de reserva (aposentadoria), sobe para 493 o número de policiais militares que deixaram a corporação somente nos 25 primeiros dias do ano de 2017.

Na semana passada o blog fez uma matéria alertando para o grande número de policiais que estavam completando seu tempo de serviço e pedindo suas aposentadorias. O Governo publicou um chamamento público para contratação de empresa especializada em promover um concurso público ainda esse ano com o objetivo de contratar 500 policiais. O problema é que o tempo de preparação desse policial para o serviço de rua chega a 10 meses e sequer o edital foi preparado e publicado. Seguindo a burocracia administrativa, estima-se que somente no segundo semestre tenhamos uma resposta efetiva sobre o início do curso propriamente dito.

No entanto, o número de policiais que já saíram desde 2016 supera em muito o número a ser contratado e, segundo estimativas, até o mês de março esse número poderá até mesmo triplicar.

Ano passado, no primeiro semestre a corporação teve 831 (oitocentos e trinte e uma) reservas (aposentadorias) e 282 (duzentos e oitenta e duas) no segundo semestre. Esse ano, até agora, já foram 493 pedidos de reserva. Ou seja, de 2016 para cá a PM perdeu 1.814 (hum mil oitocentos e quatorze) policiais. Isso, para a sociedade e também para a corporação, é por demais prejudicial.

Atualmente, o efetivo previsto na Polícia Militar, segundo a Lei 12.086/09, é de 18.673 policiais distribuídos em quadros. No entanto, ela hoje dispõe de apenas 12.514 policiais, o que torna a estrutura da Polícia Militar defasada em 6.159 policiais, para cobrir o Distrito Federal com uma população estimada em 2.999.000 milhões de habitantes. Detalhe que desses policiais, 11.778 são Praças operacionais (aqueles que estão nas ruas diuturnamente) e 849 Oficiais também na mesma situação.

Da redação

Por Poliglota…

3 COMENTÁRIOS

  1. Caro Poliglota,

    muitos Policiais Militares estão indo embora contrariados. Esses Policiais Militares estão indo embora haja vista não ter algo de concreto no tocante à Previdência e ao PL 6726/16, Estão na verdade preservando direitos que hoje correm o risco de perderem. Estão fazendo uma proposta de Lei de maneira apressada e por vingança e isso está afetando a sociedade de maneira indireta.

  2. Gostaria que fizesse aos nossos Políticos o seguinte:

    os Policiais Militares que já têm o tempo de serviço e já acumulam por exemplo algumas Licenças e mais de 02 férias. Como vão fazer se ambas estarão dentro de teto;

    O que fazer com aqueles Policiais Militares com relação à última Licença? Ele completa o ciclo de 30 anos para depois levar a LE em pecúnia. Como farão isso? Vão surrupiar o PM e deixar essa LE dentro do teto?

    E as férias que os Policiais Militares já tem na PMDF? E já completaram o tempo de contribuição ou de serviço. Como farão? Vão surrupiar também? enriquecimento ilícito por parte do Estado!

    a publicação da reserva remunerada do PM é a partir do requerimento, da minuta ou da publicação no diário oficial?

    Quanta coisa precisa ser esclarecida e muitos Policiais Militares estão indo embora por falta de informação.

    SUGESTÃO:

    Já que querem realmente disciplinar a coisa, segundo a Kátia Abreu, o mais correto e justo é preservar o direito daqueles que já acumularam tais benefícios. Se isso ficasse claro, evitaria centenas de baixas na PMDF. Só bastava esclarecer esse ponto. Fechar a torneira simplesmente, em uma linguagem simples. Não poderia ter o benefício a partir da edição da Lei e preservar os benefícios daqueles que já possuem.