PCDF: Distritais obstruem pauta até GDF apresentar proposta

0
795

Em apoio aos policiais civis do Distrito Federal, um grupo de deputados distritais anunciou na tarde desta terça, 14, a obstrução da pauta de votação da Câmara Legislativa do DF (CLDF) até que o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) volte a se reunir com os sindicatos e apresente, de fato, uma proposta de recomposição salarial fundada na isonomia com a Polícia Federal.

Os parlamentares se manifestaram depois que a categoria, convocada para uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) pelo Sinpol-DF, lotou a galeria do Plenário da CLDF a fim de pressioná-los a cobrar um posicionamento de Rollemberg.

O governador havia se comprometido em receber as entidades no dia 24 de fevereiro, mas adiou a reunião sem reagendá-la.

Leia Mais

Em reunião com o Sinpol-DF, Rollemberg reabre negociações

Sinpol-DF e área técnica do GDF discutem questão salarial

Entidades divulgam nota sobre reunião com o GDF

Sindicato volta a cobrar isonomia na inauguração do II

Diretoria detalha aos representantes as negociações com o GDF

Segundo o presidente do Sindicato, Rodrigo Franco “Gaúcho”, todas as tentativas de remarcar o encontro foram frustradas – o que levou as entidades a realizarem a AGE desta terça. O evento também marca a retomada da agenda de mobilizações em conjunto.

“É por meio dessa luta, da união das entidades, que vamos conquistar nossa paridade. Este governo não tem palavra, não tem honra, não cumpre os compromissos com esta categoria. Nós precisamos sair daqui com um compromisso do governo em nos receber, mas não só isso: de apresentar uma proposta”, afirmou Gaúcho.

SESSÃO

Os policiais civis ocuparam o Plenário logo no início da sessão, presidida pelo distrital Wellington Luiz (PMDB), vice-presidente da Mesa Diretora e também policial civil do DF. Os trabalhos foram encerrados sem qualquer votação, justamente em sinal de apoio à categoria.

Só depois que os parlamentares manifestaram apoio aos policiais, veio o aviso do GDF, trazido pelo deputado Rodrigo Delmasso (Podemos), líder do governo na casa, de que haverá uma reunião nesta quinta, 16, às 11h, no Palácio do Buriti.

Falaram em apoio à categoria os distritais Celina Leão (PPS), Agaciel Maia (PR), Raimundo Ribeiro (PPS), Chico Leite (Rede), Chico Vigilante (PT), Wellington Luiz (PMDB), Wasny de Roure (PT), Rafael Prudente (PMDB) e Liliane Roriz (PTB).

APOIO

“Dessa vez, primeiro ele faz e depois a gente cumpre a nossa parte. O governador precisa entender que esta categoria tem quem a defenda. Não vamos sair da obstrução até ele receber os policiais civis. Se o governador quiser receber o nosso apoio em qualquer votação, ele vai ter que receber os policiais civis com a presença dos deputados”, advertiu Wellington Luiz, que anunciou a obstrução da pauta em nome do bloco político que integra.

O deputado fez diversas críticas à maneira como Rollemberg vem conduzindo as negociações com os policiais civis, sobretudo com a falta de palavra do governador. O mesmo tom foi adotado pelos demais parlamentares.

Wasny de Roure (PT) disse que a situação em que Rollemberg coloca a CLDF é “embaraçosa”. À época da eleição da nova Mesa Diretora, o governador prometeu que buscaria uma solução para o impasse com a categoria.

“Na política existe gesto, honradez e autoridade moral com a palavra. Ele tem que dar resposta às coisas que foram comprometidas. Faço um apelo à quem tem interlocução para sensibilizá-lo a receber e dar uma posição conclusiva sobre esse debate”, defendeu o deputado.

Wasny também anunciou a obstrução da pauta por acreditar que “não há clima de votação para projeto quando o compromisso não é respeitado”.

A deputada Celina Leão (PPS) também criticou a postura do governador, estendendo o discurso à política de Segurança Pública implantada por ele. Para a deputada, Rollemberg faz uma distinção entre as polícias e desrespeita toda a categoria quando chama os dirigentes sindicais para uma reunião “e depois some”.

“Esse governo é uma piada sem graça. A Segurança Pública é uma só. O governador precisa lembrar disso! Não é possível que até o fim desta sessão ele não dê uma data”, discursou Celina.

OBSTRUÇÃO

Chico Vigilante (PT) também cobrou respeito de Rollemberg para a categoria. Logo após o pronunciamento, ele disse que iria se ausentar do Plenário para reduzir o quórum e, assim, também obstruir a pauta de votação.

“Os policiais civis estão fazendo um verdadeiro milagre para que a criminalidade não se espalhe. O governador precisa ter coragem.O melhor caminho neste momento é sentar e negociar com seriedade. O governador tem que negociar pessoalmente, não adianta colocar intermediário”, disse Chico.

A deputada Liliane Roriz (PTB) se juntou aos colegas na obstrução da pauta. “Vocês têm o meu apoio sincero. Em nome do meu pai e da minha família, quero me colocar à disposição”, frisou.

Em seguida, Rafael Prudente (PMDB) seguiu o mesmo posicionamento e disse que também obstruirá a pauta de votação da CLDF.

Embora não estivesse presente por motivos de viagem, o deputado Cláudio Abrantes (Rede) enviou um recado por meio do deputado Chico Leite (Rede) no qual reafirmou a posição do bloco de deputados do qual faz parte sobre a obstrução da pauta. Chico já havia anunciado a obstrução da pauta, assim como os demais colegas.

MOBILIZAÇÃO

Ainda nesta semana, as entidades devem se reunir para traçar as estratégias de mobilização de maneira conjunta. Na próxima terça, 21, pode ser convocada uma nova AGE, com indicativo de greve.

“É esse o recado que temos que dar a toda a sociedade diante dessa protelação do GDF com a categoria policial civil”, destacou Gaúcho.

Fonte: Da Comunicação Sinpol-DF

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA