CONSEGs: Realidade ou fantoches?

0
1198
Foto: Divulgação ilustrativa internet

No último dia 24 a Secretaria de Segurança Pública, através de sua secretária Márcia Alencar e com a presença do Secretário das Cidades, Marcos Dantas, se reuniram com os administradores regionais para tratar da importância dos Conselhos Comunitários de Segurança (CONSEGs) nas regiões administrativas.

A reunião tinha como objetivo mostrar a importância na integração das administrações nas ações do programa Viva Brasília – Nosso Pacto pela Vida por meio dos Consegs.

Na ocasião, foi apresentada aos administradores a nova forma de atuação da Secretaria da Segurança Pública, que terá um articulador em cada região administrativa atuando em conjunto com as lideranças comunitárias para melhorar os serviços de segurança pública. Isso não foi bem aceito. “Colocar um articulador de segurança Comunitária subordinado a SSP via Susec seria o mesmo que tirar o brilho e a autoridade dos Presidentes dos Consegs e de suas diretorias”, afirmaram membros.

Na visão de muitos e talvez a grande maioria que não teve a coragem para se manifestar, a SSP e o Secretário das Cidades, Sr. Marcos Dantas, não tem autoridade sobre os Administradores Regionais, já que na prática esses obedecem aos seus padrinhos políticos (Deputados na maioria).

Em função disso, a Feconseg terá que pôr o seu bloco na rua e as articulações para uma reunião com o Governador que, inclusive, já está sendo articulada. Na opinião de muitos, o que a SSP precisa entender é que todos nós somos voluntários, e muitas decisões da SSP precisa ter a nossa Anuência.

Os mais críticos foram enfáticos em afirmar: “Não somos funcionários públicos da SSP. Todos os Diretores foram sabatinados e com todas as certidões negativas apresentadas, coisa que não acontece com nenhum funcionário do GDF (Comissionados). Temos um Decreto dos Consegs que procuramos cumprir à risca. O que temos percebido são mudanças e mais mudanças e os Consegs continuam a mesma coisa, sem apoio e estrutura para trabalhar, contrariando o Decreto assinado pelo próprio Governador Rodrigo Rollemberg”.

Se o objetivo era o exercício da cidadania, que tal sugerirmos, doravante, que as eleições do conselho de segurança siga os moldes das eleições do conselho tutelar, onde somente podem votar aqueles que possuem título eleitoral e votem na cidade. Precisamos moralizar os conselhos de segurança do Distrito Federal. A moralização passa pela melhoria do processo de escolha de nossos representantes!

A segurança precisa mudar. A mudança passa também por esses processos micros!

É preciso divulgar e democratizar os conselhos de segurança pública em nossa cidade!

Cabe a Secretaria de Segurança Pública a moralização desse processo!

Alô secretária Márcia Alencar!!!!!

Da redação,

Por Poliglota…