Jovem de 18 anos atropela e mata duas pessoas em São Sebastião

0
198
Daniel Barreto (à esquerda) e o amigo Douglas Araujo não resistiram aos ferimentos

As vítimas estavam sentadas no canteiro central da via na hora do acidente

Um atropelamento acabou na morte de dois jovens na madrugada deste sábado (29/4), em São Sebastião. O acidente ocorreu por volta das 4h, na Avenida Principal do Jardins Mangueiral. O veículo, um Hyundai i30 preto (placa OVP-0482), pertencia a Daniel Barreto Batista, 28 anos. Barreto e o amigo Douglas Araujo Silva, 21 anos, estavam sentados em calçada quando um terceiro rapaz, identificado como Fernando Salvador Souza Rodrigues, de 18 anos, que digiria o carro de Daniel, avançou com o veículo sobre as vítimas, que morreram na hora. Douglas era estudante de enfermagem, fazia parte de projetos sociais. Daniel era estudante de direito.

Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), o i30 teria sido roubado por Fernando momentos antes. Segundo Wellington Godoy, sargento da corporação, a tragédia aconteceu após Daniel e Douglas saírem de uma festa, que ocorria na Quadra 12 do conjunto habitacional, na companhia de um terceiro jovem, identificado apenas como Lucas.

“O Daniel percebeu que o telefone havia sumido, pegou o carro com amigos e foi procurar um grupo de jovens, que deixou o local mais cedo e poderia ter pego o aparelho”, explica o sargento. Na sequência, o trio encontrou os suspeitos, desceu do carro, deixando o veículo ligado e aberto, e questionou o grupo sobre o telefone. Após o questionamento, o grupo, formado por cerca de dez pessoas, teria atacado os amigos. “Acreditamos que devido aos machucados da briga, eles sentaram no meio fio. Foi aí que o Fernando, pegou o veículo, deu ‘cavalos de pau’ na via e acelerou na direção de Douglas e Daniel”, complementa. Neste momento a dupla teria sido atingida. Lucas, que estava mais afastado, não foi atingido e foi levado para a delegacia para prestar depoimento.

Segundo Godoy, o impacto do carro foi tão forte que chegou a arrancar o meio fio e arremessar as vítimas a cerca de 50 metros de distância do veículo. “O carro ficou todo amassado, tamanha a força da pancada. A gente acredita que os jovens tenham morrido na hora”, lamenta.

Sgt Godoi à direita atendeu a ocorrência

 Após o atropelamento, os envolvidos na briga fugiram do local. “Ao chegarmos na cena do crime, começamos a apurar o que havia acontecido. Depois começamos a tentar localizar o autor nos condomínios próximos ao local, usando a descrição que as testemunhas haviam fornecido. Quando chegamos onde Fernando mora, o vigia identificou a casa da família do jovem”, relembra. De acordo com o sargento, ao entrar na residência, o jovem estava trocando a bermuda que estava suja de sangue.

Ele foi preso em flagrante por dirigir sem habilitação e conduzido para a 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá). O terceiro jovem, que acompanhava as vítimas, será ouvido como testemunha do caso. A Polícia Civil do Distrito Federal, que investiga a ocorrência, tenta localizar os demais envolvidos. “Segundo as pessoas que estavam no local, eram cerca de dez jovens no grupo, sendo quatro dessas, mulheres”, acrescenta.

Fernando, que completou a maioridade em janeiro deste ano, pode responder por furto de veículo, por dirigir sem habilitação e evasão, por fugir do local do acidente. O suspeito pode ser condenado por homicídio culposo, onde não há a intenção de matar, por estar sob efeito de álcool.

Amigos 

Nas redes sociais, incrédulos na tragédia, os amigos das vítimas se despedem dos rapazes. “É difícil compreender os desígnios e mistérios da vida. Os bons morrem jovens. Para a tristeza e a dor de nós que aqui aprenderemos a lidar com a dor da perda e a saudade. Novo, cheio de vida, sonhos… Valeu, valeu pela eternidade em nossas vidas, Dougas”, disse uma das amigas do rapaz.

Daniel, natural do Rio de Janeiro, estava em Brasília há alguns anos, onde veio estudar direito. Estava no sexto semestre e era aluno assíduo na Universidade Paulista (Unip). Era tido por todos como um homem alegre, de bem com a vida e cheios de planos para o futuro. “Barreto era uma companhia incrível. Bem humorado, gostava muito de viver. Não consigo acreditar ainda no que aconteceu”, disse uma das amigas do estudante, que pediu anonimato. O corpo do rapaz será velado na capital fluminense, na próxima segunda-feira.

Douglas era mineiro. Fazia parte de projetos sociais, gostava de ajudar os outros, de acordo com amigos que preferiram não se identificar. “Tivemos pouco contato, nos conhecíamos há pouco tempo. Mas era nítido que ele era muito querido onde quer que passasse”, disse uma colega de faculdade, que também não quis se identificar. O velório e o sepultamento do jovem ocorrerá em MG.

Outros acidentes

Outros acidentes de trânsito marcaram esta semana no Distrito Federal. Nesta sexta-feira (28/4), um homem morreu após capotar um caminhão na DF-100, entre Planaltina e Formosa (GO), próximo ao Trevo do Alemão. Segundo informações do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, o Mercedes Benz 1113, que seguia no sentido Unaí, levava cinco pessoas, quatro homens e uma mulher. O motorista, Alan Ferreira dos Santos, 22 anos, perdeu o controle da direção e, antes de capotar, os quatro passageiros conseguiram pular, mas o condutor a carroceria do veículo caiu em cima do condutor, que morreu no local.

Na terça-feira (25) uma mulher morreu em uma colisão entre dois carro no Eixão Norte.  O Corpo de Bombeiros tentaram reanimar a vítima, que sofreu trauma na cabeça e teve uma parada cardiorrespiratória, durante 45 minutos. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

No último domingo (23) um ciclista morreu após ser atropelado na altura da QI 7 do Lago Norte. O acidente foi causado por uma motorista sob o efeito de álcool. Segundo o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), o exame do bafômetro registrou 0,85 miligramas de álcool por litro de ar expelido dos pulmões.

Outro acidente causou comoção no Distrito Federal. No dia 14 deste mês, um jovem de 18 anos morreu após sofrer um grave acidente de carro com um grupo de amigos, na 601 Norte, a caminho de uma festa na Universidade de Brasília (UnB). De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o motorista, Marcos Henrique Nunes da Silva, de 20 anos, levava oito passageiros e, por conta do excesso de pessoas, duas mulheres estavam no porta-malas.

Fonte: Correio Braziliense

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA