Salários parcelados: Mais uma maldade do governo Rollemberg

1
6082
Os salários de agosto dos servidores públicos do GDF podem ser parcelados em duas vezes

Segundo reportagem publicada pelo Jornal de Brasília de hoje (27), o Governo do Distrito Federal ameaça pagar os salários dos servidores parceladamente.

Essa prática já vem sendo executada nos estados que estão literalmente falidos, como o Rio de Janeiro. Nos corredores do Buriti comenta-se que Rollemberg pretende pagar 80% dos salários no quinto dia útil e os 20% restantes somente no dia 20.

O GDF nega que já exista decisão tomada acerca do tema, mas o assunto já abalou os sindicatos e associações de servidores que não acreditam mais nas conversas do governo. A desculpa de que faltam recursos já não convence mais os servidores já que a mídia tem divulgado os recentes superávits alcançados pelo governo no recolhimento de impostos. Só nas duas primeiras semanas do programa de pagamento atrasado do IPVA, cobrado via e-mail dos contribuintes, a Secretaria de Fazenda recolheu mais de R$ 10,8 milhões de reais.

Caso isso venha a se concretizar, e pela lógica, apenas os órgãos de segurança pública (PM, BM e PCDF) não devem sofrer o parcelamento, pois os recursos para pagar esses servidores são oriundos de verbas federais através do Fundo Constitucional do DF (Lei 10.633/02). Ao contrário do que se imagina, os servidores da Saúde e Educação não podem ser pagos com os recursos do Fundo, prática que vem sendo executada por vários governos desde a criação do Fundo. Essa definição está clara na Lei, a saber: “Art. 1º Fica instituído o Fundo Constitucional do Distrito Federal – FCDF, de natureza contábil, com a finalidade de prover os recursos necessários à organização e manutenção da polícia civil, da polícia militar e do corpo de bombeiros militar do Distrito Federal, bem como assistência financeira para execução de serviços públicos de saúde e educação, conforme disposto no inciso XIV do art. 21 da Constituição Federal”, grifo nosso.

O blog ouviu alguns sindicalistas que afirmaram que, caso isso aconteça, os serviços públicos que já são precários podem efetivamente parar. “Não podemos mais aguentar esses desmandos de um governo completamente irresponsável no tratamento para com os servidores públicos de Brasília”, afirmou um sindicalista.

Da redação,

Por Poliglota…

1 COMENTÁRIO

  1. Gostaria de saber o seguinte; o agente penitenciário não faz parte da segurança pública para o bônus, mas para o ônus, sempre sai na frente, porque? Quem mantém os presos tirados pelas polícias todos os dias atrás das grades e que garantem um sono tranqüilo para a população, por um acaso são só os policiais? Porque sempre deixam os agentes penitenciários de lado, como se estes não existissem? Conseguem explicar ou é difícil pra vocês também perceberem isso?