“OPERAÇÃO OSTENTAÇÃO”: Vaidades de Rollemberg coloca a Polícia Militar no centro de chacotas nos meios de comunicação

5
2322
DANIEL FERREIRA/METRÓPOLES

Realmente não dá pra entender qual é o problema da gestão na segurança pública do Distrito Federal.

O DFTV agora a pouco (11) exibiu nova reportagem sobre as viaturas adquiridas pela PM e que viraram motivo de polêmica por estarem paradas em pontos estratégicos, segundo a corporação, para dar uma “SENSAÇÃO DE SEGURANÇA” à população em vez de estarem circulando pelas ruas do DF.

Ora, se as tais viaturas não tinham condições de irem para as ruas com a capacidade de atendimento à população, conforme o propósito de suas aquisições que era a execução do policiamento ostensivo e de radio patrulhamento, que permanecessem na concessionária ou nos quartéis até que todos os procedimentos necessários de cunho administrativos, tais como os contratos de manutenção, fossem concluídos.

Mas ao que parece, o governo de Rodrigo Rollemberg não está preocupado com o que pensa a população e muito menos o que ela necessita. Para ele, o mais importante é “mostrar serviço” rumo a uma possível reeleição do ano que vem, coisa que só deve mesmo passar na cabeça dele e de sua assessoria. Isso para não entrarmos em outras questões, como a saúde pública que está completamente sucateada.

Durante todo o serviço policiais deverão ficar atentos à postura e compostura, primando pela boa apresentação individual e coletiva.

É incompreensível que não se leve ao governador, ou seus auxiliares diretos, que os procedimentos para que as viaturas possam estar em condições de atenderem a população precisam de processos administrativos imprescindíveis. O comando da corporação tem um compromisso institucional e o governador não é um semideus. Se tiver que falar diretamente a ele, que fale, mesmo que o preço seja o seu cargo, mas não permita que ingerência política comprometa a segurança pública e exponha a instituição e seus integrantes. A sociedade, de uma forma geral, não quer saber se a viatura tem contrato ou não de manutenção. Ela avistou a viatura, os policiais a compondo e na cabeça deles ela está pronta para atendê-lo em suas necessidades.

A Polícia Militar é uma instituição secular que não merece estar passando por essas exposições nos meios de comunicações e muito menos diante de uma sociedade que nela confia. A atitude dos gestores em tomar essa decisão deu à imprensa (Rede Globo) a outorga de até mesmo apelidar o ato como uma “OPERAÇÃO OSTENTAÇÃO”, num claro desrespeito e sinônimo de chacota perante a sociedade brasiliense. Isso é uma vergonha! Para o policial linha de frente, aquele que recebe a população de imediato, é uma situação constrangedora ter que responder que não pode atendê-lo por uma ordem superior quando, aparentemente, dispõe de todos os meios para tal.

As inúmeras desculpas não são mais toleradas pela sociedade. Ou Rollemberg e seu secretariado assumem de vez a responsabilidade em administrar Brasília ou muito em breve vamos nos tornar uma metrópole semelhante ao Rio de Janeiro, onde não há respeito aos órgãos de segurança pública e se transformou num estado completamente falido e entregue ao crime.

Que venham dias melhores!

Da redação,

Por Poliglota…

5 COMENTÁRIOS

  1. Não desmerecendo profissionais mais ,vendo atende que não são carros próprios para certo tipos de ocorrência. Com esse dinheiro daria pra compra carros para vários tipo de terreno ou esses carros vão roda só dentro de Brasília? Ou talvez realmente poderia investi na saúde ou educação.essa é minha opinião.