Governos, políticos e sociedade estão brincando com a segurança pública.

0
794

Muito se tem falado sobre política no país. São inúmeras discussões sobre Reforma Previdenciária, Reforma Política, Reforma do Judiciário e etc.

Mas estamos assistindo o país se enveredar na criminalidade sem que os legisladores e a sociedade se preocupem em fazer uma verdadeira Reforma Criminal. Já chegou o tempo em que o cidadão de bem virou refém da marginalidade, não podendo sequer sair ou chegar em sua casa sem que corra riscos. E o que está sendo feito? Nada! Absolutamente nada. A sociedade se acovardou, está omissa e assistindo a tudo passivamente.

As Polícias Militares de nosso país tem feito o que lhe é possível, mas ela não é a responsável pelo controle das fronteiras e pela investigação do tráfico internacional de armas, nem tampouco pela reforma de leis penais. Também não pode ser responsabilizada pela crise econômica e pela falta de investimento em projetos sociais. Mesmo assim, ela enfrenta os efeitos de todos esses indutores de violência, sabe-se lá como.

A sociedade precisa entender e pressionar os congressistas de que as polícias são a última barreira entre a ordem e o caos, entre o bem e o mal. Hoje elas pagam, injustamente, uma conta que não é nem de longe de sua responsabilidade. Se a sociedade não esquecer um pouco a política e fizer a sua parte com seriedade sobre as causas da violência e mobilizando-se para a construção de um novo cenário, daqui a pouco não haverá retorno. Aí, não adiantará lamentações e reclamações.

Nosso país simplesmente sucatou nossas forças policiais nos últimos anos. É exatamente aí que começam os problemas, não existe estado democrático de direito onde segurança pública e defesa nacional sejam utilizadas para o mesmo fim, mesmo que temporariamente. Lembram-se do Plano Nacional de Segurança Pública? Pois é, não passou de mais uma mal sucedida campanha de marketing, pois não resolveu em nenhum estado o problema da Segurança Pública, pois contemplou única e exclusivamente o material em detrimento ao pessoal. Visto nas fotografias as imagens são lindas, inúmeras armas, viaturas e helicópteros reluzentes, mas que infelizmente necessitam do ser humano para que surtam algum efeito, devidamente valorizado. Ao contrário disso, estamos assistindo ao massacre de policiais por todo país (só no RJ já foram 100 assassinados).

Por fim, a conclusão que se chega é que há a necessidade de empenho, vontade e determinação política, humildade para reconhecer os erros do passado, profissionalismo para transferir aos verdadeiros especialistas em segurança pública a Segurança Pública (chega de delegados federais que parecem “Rainha da Inglaterra”), dando a esses profissionais que realmente fazem e vivem o universo da segurança pública oportunidade de apresentarem políticas públicas com uma visão macro e moderna do problema.

Ah, só para fechar: “UM AMARILDO INDIGNOU O BRASIL POR MESES, 100 POLICIAIS PARECEM NÃO TER A MESMA IMPORTÂNCIA”, (Gurgel Soares)

Acorda sociedade brasileira!

Da redação,

Por Poliglota…