Cresce a corrente de que Cristovam pode dividir a corrida para derrotar Rollemberg

0
15
Foto: Jornal de Brasília

Na imprensa e nas redes sociais há muito vem se disseminando a ideia de que o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) pode ser o divisor de águas para a retomada da capital federal das mãos de Rodrigo Rollemberg (PSB-DF).

Pregando a palavra de que no partido já existe um consenso de que em 2018 Cristovam concorrerá à reeleição e que conversas com Frejat estão adiantadas no sentido de haver uma composição para a indicação do vice governador, a ideia do partido é mexer com a opinião pública e, quiçá, torcer parta a estratégia dar certo.

De acordo com matéria publicada hoje (23) no Jornal de Brasília, a candidatura à reeleição do senador Cristovam Buarque (PPS) é uma preocupação dos partidos que se organizam para disputar o comando do Palácio do Buriti. Como ele precisaria de um candidato ao governo para dar suporte aos planos dele, articuladores temem que as siglas de centro e direita se dividam e derrotar o governador Rodrigo Rollemberg seja uma tarefa mais difícil. Buarque, em que pese os desgastes que vêm passando, ainda teria capital político, avaliam. E, por isso, pode se valer de um nome novo para se aliar e construir a candidatura para o ano que vem. Tanto que existe um discurso que já vem se sustentando entre políticos de todos os lados: É preciso reunir forças para dar esperanças a Brasília. É isso que vai justificar as coligações mais bizarras que surgirem adiante.

Na opinião dos caciques do partido, não resta dúvidas de que Frejat será o próximo governador, e se for com as bênçãos de José Roberto Arruda, Joaquim Roriz e Reguffe, três políticos com densidade eleitoral respeitável, melhor ainda. Resta saber o que pensa a opinião pública e os demais postulantes da direita que também brigam pela cadeira 01 do Distrito Federal e, claro, o próprio Jofran Frejat.

Segundo os comentários nas redes sociais, “quem lê e procurar se informar sobre trechos sinistros da história envolvendo o socialismo, sabe o que se esconde por trás desse possível quadro que ora é apresentado por estes abutres. Socialismo é apenas a roupa bonita com a qual se apresentam os terríveis dogmas de dominação e totalitarismo que tantos milhões matou, escravizou e deixou na miséria. Frejat não teria esse perfil e se o fizer pode enterrar suas pretensões”, diz um desses comentários.

Vamos aguardar, pois trata-se de apenas seu primeiro ato. O eleitorado, atento e ansioso, aguarda o encerrar da peça para saber se darão aplausos ou vais.

Da redação,

Por Poliglota…