Governo Rollemberg: A debandada continua. O barco está afundando

0
2
Foto: Agência Brasília

Depois do PDT de Alírio Neto, do PSD de Rosso e da Rede Sustentabilidade da presidenciável Marina Silva, mais dois partidos estão preparando as boias para pular fora do barco à deriva de Rollemberg (PSB).

O Podemos, de Rodrigo Delmasso e o PRB de Wanderley Tavares devem ser os próximos.

Rollemberg começa a colher os frutos de seu desastrado governo. Ao tomar posse com um discurso conciliador e de austeridade fiscal e econômica, o que se viu ao longo desses três anos foi um governo egocêntrico, ladeado de amigos incompetentes que faziam um furo no barco a cada viagem.

Destruiu a saúde pública do DF, enfraqueceu a segurança pública, massacrou servidores públicos (os maiores responsáveis pelo desenvolvimento da máquina governamental) e bateu todos os recordes de rejeição jamais visto na história política do país como o pior governador de todas as unidades federativas, atingindo o inimaginável percentual de 93% de rejeição.

Uma pesquisa, de caráter reservada, mas que vazou nas redes sociais após publicação no site do jornalista e ex-chefe de comunicação do governo, Helio Doyle, davam conta de que o pior governador da história de Brasília era um forte candidato nas pesquisas de intenção de votos para uma reeleição. Virou motivo de chacotas e memes por toda rede.

Pode até ser que Rollemberg dê trabalho a uma direita indecisa, mas daí ser eleito tem uma distância enorme a ser percorrida. Tem a máquina administrativa nas mãos e deve ter feito uma bela economia nesses três anos para despejar em publicidade de ações de seu governo nessa corrida final.

Por fim, uma frase do próprio Hélio Doyle traduz o que é e o que poder “ficar” do ineficiente governo Rollemberg: “Rollemberg fixou uma imagem de honesto e bem-intencionado, mas que não sabe administrar nem articular e não tem a coragem e a ousadia necessárias para enfrentar os enormes problemas de Brasília”.

Da redação,

Por Poliglota…