Paredes tem ouvidos Dr Seba

0
1880

Os áudios vazados de um suposto diálogo entre o Diretor da Polícia Civil Eric Seba e a Diretora do Departamento de Polícia Especializada, Delegada Mabel de Farias traz á tona uma questão preocupante em pleno ano eleitoral: As paredes têm ouvidos e quem quiser que se cuide!

Em fração de segundos eles se espalharam pelas redes sociais e já atravessaram fronteiras estaduais. As razões ainda não foram apuradas, mas sabe-se, pelos áudios, que tudo está relacionado à questões salariais (paridade) entre os órgão de segurança.

De acordo com o publicado no site radarDF (Veja Aqui), a indignação do Diretor Eric Seba se deu por conta de declarações de um policial militar e pré-candidato nas próximas eleições exigindo a paridade entre a PM/BM e PCDF, ao ponto do delegado afirmar que “PMs não passam de vigiadores de cones”. Já a Dra. Mabel Farias (Diretora do Departamento de Polícia Especializada), ainda segundo o áudio, afirmou que PCDF não tem que ir ao governo federal buscar recursos porque a PM e o BM também tem que ser contemplados. A PCDF, de acordo com a delegada, sempre foi bem tratada e diferenciada e não tem que estar a reboque da PMs e Bombeiros.

Clima esquentou

Nas redes sociais a pergunta que não quer calar é: “O que segura, ainda, Eric Seba na cadeira 01 da PCDF?”. Seba já foi gravado enquanto tecia críticas ao comportamento de delegados da corporação que pediram a sua cabeça. No áudio que circulou também pelas redes sociais o diretor geral acusa um grupo de delegados opositores a sua gestão de praticar crimes como: Transporte de dinheiro ilícito e até uso de entorpecentes (maconheiros).

Talvez a identificação dele com o perfil de seu Chefe maior, o governador, ainda o mantém no cargo ou, quem sabe, algo mais além das estrelas. Isso porque não é compreensível o porquê de um Diretor que perdeu o respeito e o comando sobre seus subordinados ainda permanecer no cargo. A propósito disso, o SINDEPO (Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do DF) emitiram uma Nota Pública onde pediam a exoneração de Seba, decidida em assembleia extraordinária. Veja abaixo:

SINDICATO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO DISTRITO FEDERAL

SINDEPO-DF

SCES, Trecho 2, lote 25, Clube da ADEPOL, Asa Sul, Brasília – DF – CEP: 72.200-002 – Tel.: (61) 3234-0575/3224-8187

 Email: sindepo@sindepodf.org.br – www.sindepodf.org.br 1ª

NOTA PÚBLICA

Vimos, através desta, expor a público que, nesta data, em Assembléia Geral Extraordinária, os Delegados de Polícia do Distrito Federal aprovaram, de forma UNÂNIME, a realização de pedido de exoneração do Diretor-Geral da Polícia Civil do DF, Eric Seba de Castro.

Aprovou-se, à UNANIMIDADE também, declaração de que Eric Seba de Castro, Diretor-Geral da PCDF, não representa os Delegados de Polícia do DF e que sua subserviência ao Governo é atentatória ao cargo e à instituição.

A Diretoria.

A verdade é que um diretor que não tem apoio de sua instituição e muito menos de seus próprios pares, não tem muito que apresentar a não serem esses episódios dignos de uma verdadeira comédia pastelão. Felizmente, a sociedade sabe separar as coisas e sabe que isso não traduz o pensamento de toda corporação. Não dará créditos a uma reunião política protagonizada em gabinete para tratar de assuntos salariais, quando deveria estar sendo realizada com cunho administrativo e operacional para desvendar crimes ocorridos e até hoje sem solução, por exemplo.

O mais preocupante nesse episódio é a passividade do governador do DF, Rodrigo Rollemberg. Se tivéssemos um governador efetivamente comprometido com a sociedade a qual governa, a atitude mais coerente, caso se confirme a autoria dos áudios, seria a exoneração sumária de ambos, principalmente do diretor Eric Seba que é reincidente e arrasta consigo o histórico de gravações polêmicas.

Á Polícia Militar não cabe envolver-se nessa celeuma. Apesar de atingir direta e moralmente todos os integrantes dessa corporação bicentenária, os números apresentados e o compromisso com a população falam por si só, o que ele, a população, sabe discernir perfeitamente.

A sociedade, a observar a repercussão nas redes sociais e nos meios de comunicação, aguarda um posicionamento do governador do Distrito Federal, afinal, quando antes de assumir e em plena campanha eleitoral, ele foi primeiro a dizer que “faltava pulso nos órgãos de segurança”.

Portanto, com a palavra, e providências, o governador Rodrigo Rollemberg

OUÇA O ÁUDIO

**Só um adendo: “Governador, não temos balconistas e nem vigiadores de cones! Temos profissionais de segurança pública que merecem respeito e tratamento digno e igualitário”. Ou será que estamos vivendo em outro planeta?

Da redação,

Por Poliglota…