Elemento baleado pelo Cabo Bombeiro não era nenhum santinho

0
2533

Por Poliglota…

A ousadia dos marginais chegou ao ápice da intimidação a todo e qualquer transeunte que circula pelas ruas de Brasília

Dados levantados do elemento baleado pelo Cabo do Bombeiro mostram que ele tinha passagem por tráfico, roubo, furto e homicídio, artigos 16, 157, 155, 121 e condenado a 15 anos, 9 meses e 9 dias de prisão

Hoje, em Taguatinga, a vítima poderia ter sido o Cabo do Bombeiro Anderson Di Camargo, mas parece que o dia era dos anjos e não dos demônios.

Segundo apurado, o militar foi fechado na DF-001 próximo ao viaduto que dá acesso ao Pistão Norte por um veículo da marca Siena com dois elementos em seu interior. Houve uma discussão e logo depois o bombeiro se deslocou para uma borracharia nas proximidades. Para sua surpresa, os elementos do veículo saíram em sua perseguição e colidiram com a traseira de seu carro. Aconselhado por um policial a ir efetuar uma ocorrência policial, quando saía da borracharia em direção à delegacia observou que estava sendo acompanhado pelo veículo que passou, então, a perseguí-lo, já que iniciou um deslocamento mais rápido com receio de sofrer um atentado.

O bombeiro contou que com medo de ser agredido, atirou para cima. Porém, mesmo assim, a dupla não desistiu de persegui-lo. Alegando legítima defesa, admitiu ter atirado duas vezes contra o veículo vindo um dos tiros a acertar Francisco das Chagas Santos, a vítima, que foi socorrido ao Hospital regional de Taguatinga e posteriormente soube ser portador de uma longa ficha criminal estando, inclusive, em liberdade provisória.

Após o fato, o bombeiro se apresentou num quartel da Polícia Militar e posteriormente foi conduzido à 12ª Delegacia. Depois de ser ouvido foi solto e responderá ao processo em liberdade.

O comando da corporação emitiu uma nota e informou que está acompanhando ocaso através de sua Corregedoria.

Veja a nota:

Nota de Esclarecimento CBMDF by Tenente Poliglota on Scribd