Após pesquisa, PMs e Bombeiros se unem em prol de representação

0
1483
Policiais e Bombeiros unidos pretendem mudar o cenário da segurança pública do DF

Por Poliglota…

A situação dos policiais e bombeiros militares do DF no quesito representação continua indefinida, mesmo depois de pesquisa realizada pela Associação dos Oficiais da Reserva da PMDF (ASSOR)

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número DF-04405/2018 entre o dia 01 e 07 de março do corrente, onde 515 policiais e bombeiros foram entrevistados.

Apesar de inúmeros contestamentos nas redes sociais e grupos diretamente ligados aos militares, e também pré-candidatos, a grande maioria é de consenso que essa representação só será possível se todos se unirem às causas coletivas das corporações, carentes de representação desde a última protagonizada pelo então deputado distrital, presidente da CLDf e pertencente ao mesmo partido de governo PT, Patrício.

Nesse sentido, hoje à noite os policiais e bombeiros resolveram se organizar e traçar estratégias para os próximos pleitos. Sem um líder, mas com objetivos claros, a perspectiva é que todos saiam candidatos num único partido, deixando e lado vaidades e interesses pessoais.

A reunião está marcada para ser realizada hoje, 20/03/, na SMT (Setor de Mansões de Taguatinga) conjunto 06 lote 09 – Taguatinga Sul a partir das 20:00 horas e não haverá participação de nenhum representante parlamentar com cargo. Os contatos podem ser feitos através do telefone 98515-1590. A Pauta se resumirá ao cenário Nacional e Local, a legislação eleitoral, a importância de uma nominata própria e a centralização dos votos da categoria e as Opções de partidos, além, óbvio, da apresentação dos participantes. As opiniões dos presentes será limitadíssima a três minutos por fala.

A PM e os Bombeiros, por serem classes muito divididas, precisam se conscientizar de que apenas com união conseguirão eleger um representante. Grandes agregadores de votos e formadores de opinião, a ideia, como não poderiam ser diferente, é de se buscar um entendimento de todos os pré-candidatos PM e BM de que saiam todos por um único partido ou uma coligação forte que permita a eleição e, pelo menos, um candidato. Não haverá a participação de deputados eleitos e ou presidentes de partidos.