Rodrigo Maia ameaça oposição mexendo no bolso de deputados

0
727
WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

Por Poliglota com informações da Agencia Estado

O limite de compromisso e insanidade com o país por parte de muitas “autoridades parlamentares”, principalmente a oposição ao governo Temer, chegou ao ápice.

Depois de exigirem que o Congresso (leia-se o contribuinte) seja o responsável pelo ressarcimento das despesas de deputados e senadores da oposição que viajaram para São Paulo para protestar e prestar solidariedade ao condenado ex-presidente Lula, sitiado no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, agora resolveram obstruir matérias importantes para o governo e o país.

Apesar de a obstrução ser um recurso previsto no regimento interno da Câmara dos Deputados e que pode ser utilizado por parlamentares em determinadas ocasiões para impedir o prosseguimento dos trabalhos, o presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), ameaçou cortar os salários dos rebeldes que desde 7 de abril vem utilizando da prerrogativa e com isso impedido que matérias importantes sejam votadas por falta de quórum.

Segundo Maia, “a conciliação e o diálogo sempre foram instrumentos utilizados em minha vida parlamentar, mas já que a oposição se acha no direito de continuar a fazer a obstrução, é chegado o momento da presidência reavaliar a questão de ordem sobre a presença em plenário”, ameaçou Maia.

Parlamentares de oposição não abrem mão e afirmam aos quatro cantos que permanecerão em obstrução até que o ex-presidente Lula seja solto. Érica Kokay (PT-DF), por exemplo, além de criticar Rodrigo Maia, afirmou que não se sujeitarão a chantagens, reforçando que isso mais parece uma demonstração de fraqueza por parte de um governo completamente em frangalhos.