“Censura” de Rollemberg chega à Segurança Pública

0
578
Foto de JP RODRIGUES / ESPECIAL PARA METRÓPOLES

Por Poliglota…

Dessa vez, o alvo foi o Sinpol-DF Sindicato dos Policiais Civis do DF

Depois de pagar mais um mico ao mandar retirar o painel de publicidade de um dos maiores portais do Brasil há 15 dias, o Metrópoles, por suposta ilegalidade, ter sido derrotado no TJDFT por unanimidade quanto à continuidade da retirada e ainda ter que se redimir do erro, agora a vítima foi um sindicato ligado a segurança pública do DF.

Ações dessa natureza (mandado de segurança) tem sido recorrente pelo governador PSBedista através do escritório de representação de sua filha, Gabriela Rollemberg, que assina as peças. Para isso basta que se fale mal de seu governo. O SINPOL-DF mantinha uma campanha intitulada “não reeleja Rollemberg”, agora proibida por uma liminar assinada pelo ministro Napoleão Nunes Maia Filho do TSE.

Mas o SINPOL não foi o único a ser questionado nas ações. Veladamente, jornalistas e blogueiros ligados a segurança pública tem sido perseguidos com a instauração de IPMs e Sindicâncias como forma de intimidação. Por terem regulamentos rigorosos, porém arcaicos e que não acompanharam a Constituição Federal nem Lei Federal específica (Lei nº 7524/86), os profissionais da comunicação que são militares são os mais prejudicados.

Despencando na popularidade e com uma rejeição superior a 80%, as atitudes do governador Rollemberg acabam causando mais revolta na sociedade e, consequentemente, no eleitorado. Em rodas de conversas, a cada 5 pessoas questionadas se votariam em Rollemberg para um novo mandato 4 dizem claramente que NÃO.