Eleições PMDF: Começou…Seja o que Deus quiser!

0
853

Por Poliglota…

Hoje (16), começa oficialmente as campanhas eleitorais aos cargos de governador, senador, deputados federais e distritais no DF. Muita briga e bastante indefinições na cabeça do eleitor

Aqui a coisa tá muito embolada, principalmente no que diz respeito aos candidatos da Polícia Militar do DF. Em maio do ano passado o deputado e hoje pré-candidato ao governo do DF, Alberto Fraga (DEM) abriu as portas para todos os candidatos da PM fazerem um chapão militar com vistas à representação. As vaidades pesaram mais e o desdém parece ter sido a retórica. Pensar no todo parece ter sido a última coisa.

Pela coligação PTC/PMN, tudo indica que a chapa irá trabalhar pela eleição de Eduardo Pedrosa (o sobrinho queridinho de Eliana Pedrosa, candidata ao governo do DF) que teve nas ultimas eleições 7.229 votos. Segue na chapa Bena Domingos com 8.027 votos, mais os policiais militares Ailton Miranda (3.101), Jabá (1.114), ST Geraldo Alves (529) e dois outros não testados nas urnas, Caveira (Paulo Tiago) e Bonina (Véi da 12). Terão chances? Eis a questão!

Já no PROS, o Guarda Jânio (14.939) terá que brigar com o delegado Fernando Fernandes (12.079) e a distrital com mandato Telma Rufino (11.364). Os três, pela lógica, estão tecnicamente empatados, mas com uma leve vantagem para Telma Rufino por ser portadora de um mandato parlamentar e em melhores condições de brigar com os outros dois. Telma Rufino, apesar de seus 400 cargos no governo e ter sido base de apoio a Rollemberg com apoio do PROS, não anda muito bem das pernas também, principalmente pela denúncia de ter utilizado de diploma suspeito em seus assentamentos. No contexto dos milicos, Telma prometeu demais e fez de menos.

No PHS, o Subtenente Hermeto (9.664) vai acirrar uma guerra contra o atual deputado Lira (11.463). Nos levantamentos feitos pelo blog, Lira não anda bem das pernas, principalmente em sua base eleitoral que é São Sebastião. Nos bastidores, soubemos que o ex-deputado Rogério Ulysses, que detém boa parte da simpatia do eleitorado de São Sebastião, vem trabalhando nos bastidores para eleger João Hermeto o distrital da cidade.

Dentre os candidatos policiais militares, o que se encontra, em tese, em piores condições é o Subtenente da reserva Ricardo Pato (PSC). Detentor de 3.697 votos em 2014, Pato, como é conhecido, vai ter que desbancar o pastor Daniel de Castro (9.244), Iolando de Almeida (8.462), Lilian Brinelli (7.208) e Valério Maranatha (7.018). Numa classe desunida, fragmentada e estritamente imediatista não será uma tarefa fácil o poder do convencimento.

Pelo visto, e ao ouvir opinião de especialistas, o subtenente Hermeto (PHS) é o que tem melhores condições de alcançar sucesso no pleito junto com o Guarda Jânio. Ex-administrador, respeitado pela população da Candangolândia, Park Way e Núcleo Bandeirante, Hermeto mostrou-se capacitado para ocupar um cargo legislativo. Uma das armas usadas pelo candidato foi o fato de aproximar-se da corporação e seus integrantes e demonstrar fidelidade ao deputado federal Alberto Fraga até o último instante na candidatura ao GDF e impor condições ao seu partido de apoio irrestrito ao postulante ao Buriti. Nenhum dos demais candidatos tomou decisão semelhante, servindo apenas de puxadores de votos para os caciques já pré-estabelecidos. História que já sabemos de cor e salteada.

Se formos analisar friamente, nenhum dos pré-candidatos militares a cargos distritais, com exceção de Hermeto, cresceu politicamente. Apesar de inúmeros eventos que envolviam as situações relacionadas aos militares do DF o que se viu foi uma sucessiva campanha midiática de blá..blá..blá. Impossível, segundo alguns especialistas ouvidos, um candidato sair de 500 votos para 50 mil votos ao cargo de federal e outros com pouco mais de 1000 votos atingirem cerca de 25 mil votos a distrital numa eleição completamente atípica. Seria o milagre da multiplicação.

Que venham as urnas!!! De preferência, e com fé, com muitos militares da PMDF e CBMDF eleitos.