Quebra pau na caserna! Deputado esculacha comandante que chama tropa de obesa

0
4313
O deputado bombeiro Roosevelt Vilela, diz que o Coronel Emilson está ridicularizando a tropa do CBMDF

Depois de afirmar que 70% dos integrantes do Corpo de Bombeiros Militares do Distrito Federal é obesa, o comandante geral da Instituição militar Coronel Emilson Ferreira, entrou em rota de colisão com a tropa ao defender que bombeiros civis sejam utilizados em combate a incêndios nos parques do DF

Por Toni Duarte//RADAR-DF

O deputado bombeiro Roosevelt Vilela (PSB), reagiu contra uma suposta posição do Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros do DF Emilson Ferreira, que estaria inclinado a baixar uma resolução permitindo que empresas de bombeiros civis possam ser contratadas para atuar no combate a incêndio em áreas de grande circulação como metrô, rodoviárias e parques, inclusive o Parque Nacional.

Para esse tipo de trabalho, segundo o parlamentar somente o CBMDF possui equipamentos como caminhões ABTF, aeronaves Air Tractor AT-802F, fabricados nos estados Unidos e equipamentos individuais no combate ao fogo.

“O CBMDF possuiu os melhores equipamentos de combate a incêndio da América Latina e homens bem treinados e qualificado na área”, disse o subtenente do Corpo de Bombeiros aposentado, após assumir o mandato de deputado distrital no início do mês passado.

No entanto, desde o ano passado, ainda no governo Rollemberg, que um forte lobby vem sendo costurado dentro da Câmara Legislativa, bem como dentro do GDF por representantes de empresas especializadas em combate a incêndio por meio de brigadistas.

As empresas que prestam serviços de brigadistas nos shopping centers lutam pelo aumento da fatia do mercado para realizar missões que até agora cabe tão somente aos bombeiros militares. Os chamados brigadistas se tornaram bombeiros civis.

Durante o governo de transição, no final do ano passado, ocorreu um encontro entre o Sindicato das Empresas Especializadas em Bombeiro Civil do Distrito Federal (SEPEBC-DF) e o vice-governador Paco Brito (Avante).

O encontro aconteceu na sede da Fecomércio, fora do ambiente do Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB) onde foi instalada a transição.

Voltando a história para o âmbito do Corpo de Bombeiros do DF, as labaredas de animosidade entre o Comandante Geral e a tropa cresceu vertiginosamente nos últimos 50 dias que o Coronel Emilson se encontra no comando da Instituição. O coronel malhado em academia zoou com os buchudos dos quartéis.

Em uma reunião ocorrida na Comissão de Segurança da Câmara Legislativa, presidida pelo deputado bombeiro Roosevelt Vilela, o comandante afirmou que 70% da tropa está obesa.

“Todo mundo ficou acomodado dentro de casa e não fez exercícios, ou seja, tem muita gente acima do peso”, disse ele. A maioria dos bombeiros com mais de 25 anos de trabalho não gostou.

Para piorar a relação com a tropa, o Comandante adotou o critério para que bombeiros, seja de que idade for, tenham acesso à Gratificação de Serviço Voluntário (GSV) terão que fazer esforço físico, tipo 200 agachamentos e uma centenas de abdominais para ficar “tanquinho”.

“Eu não sei o que se passa pela cabeça desse comandante. Ele é um desinformado ao sustentar que 70% dos bombeiros militares são obesos. Isso não é verdade. Eu não sei o que pode estar por trás desse tipo de atitude”, disse neste domingo ao Radar, o deputado distrital Roosevelt Vilela.

Para ele, os bombeiros do DF não podem estar mais obesos do que toda a população brasileira que no geral apenas 49% está fora do peso.

“Se já não bastasse querer ridicularizar os bombeiros militares, chamando todo mundo de gordo e gorda, agora ele vem com essa de apoiar uma situação que vai contra, do ponto de vista legal, as atribuições constitucionais da Corporação. O comandante não tem autoridade para descumprir o que está na constituição. Se isso ocorrer eu vou pra cima”, disse.