O BICHO TÁ PEGANDO! Ibaneis vai continuar demitindo quem não deu certo no governo

0
511

Dos 30 secretários e dos 20 presidentes de autarquias e estatais, são poucos que recebem os 31 administradores das cidades do DF que nos últimos meses andam com o pires na mão em busca do apoio para sanar os problemas de quem mora na ponta, ou seja: o povo. Queixas neste sentido serão feitas pelos próprios administradores, durante a reunião com o chefe do Executivo, que ocorre nesta manhã de sexta-feira, no Buriti. Faltando apenas 19 dias para completar os “cem dias de governo”, Ibaneis começa a cair na real de que é preciso fazer mudanças

Por Toni Duarte//RADAR-DF

Virou rotina a romaria de administradores regionais batendo a porta das secretarias, autarquias e estatais do GDF, em busca de soluções para as centenas de problemas que ocorrem nas cidades.

A maior parte dessas demandas são direcionadas para a Secretaria de Saúde, Educação, Transportes, Habitação, Segurança Pública, além de empresas como Novacap, CEB, DER e Terracap.

“Não adianta mandar oficio pedindo audiência com secretários. São poucos os que respondem depois de muita insistência. É humilhante. É uma falta de respeito ao povo e ao próprio governador, desabafou um administrador que pediu para não ser identificado.

Falar com o secretário de Educação, Rafael Parente é uma missão impossível segundo afirmou outro administrador consultado pelo Radar.

“Existe na Secretaria de Educação uma parede intransponível que fica entre o secretário e o administrador que procura a pasta para solucionar os problemas nas demandas da área da educação. Nos tratam como se não fossemos governo e como se não tivéssemos importância alguma”, reclamou.

No mapa dos órgãos campeões de queixas da maioria dos administradores regionais, são a Companhia Energética de Brasília (CEB), Departamento de Estrada e Rodagem (DER), Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap).

Nesta sexta-feira (22/03), o governador Ibaneis Rocha convocou todos os 31 administradores regionais para uma reunião que se dará no Palácio do Buriti.

A pauta principal da reunião comandada pelo chefe do Executivo será a cobrança do desempenho de cada um deles em suas respectivas cidades. Ibaneis sabe, por meio do “alerta máximo“, quem trabalhou e quem fez corpo mole apenas para segurar o contra-cheque.

Os administradores são uma espécie de prefeitos e as administrações regionais são a primeira porta de entrada de todas as demandas e exigências feitas pela população.

Faltando exatos 19 dias para completar os “cem dias de governo”, muitas metas traçadas pelo governador  emedebista pode não se concretizar, apesar do esforço quase que solitário que ele faz para que tudo caminhe a passos largos.

Enquanto Ibaneis dá três passos a frente, vários de seus auxiliares dão pelo menos dois para trás.

Na reunião realizada para cobrar dos administradores mais eficiência, certamente o governador ouvirá as queixas de muitos deles sobre a falta de condições de trabalho por causa da falta de sintonia entre o time do primeiro escalão do governo com quem está na base.

Ao viajar para Lisboa na semana passada, o governador levou consigo a insatisfação dos serviços prestados nos hospitais ainda abarrotados de gente implorado atendimento. O Diário Oficial desta semana foi duro para alguns setores da saúde do DF.

A caneta do governador que nomeou o time, ainda no período da transição, pode ser usada nestes próximos 19 dias para exonerar quem não deu certo. “É hora de reestruturar o governo”, confidenciou ao Radar uma importante fonte no Palácio do Buriti. O bicho tá pegando!