Conflitos internos causaram mudança na Casa Militar, diz Ibaneis

0
677

Governador diz que tentou apaziguar os ânimos dentro do órgão, como não conseguiu, exonerou o coronel Júlio César Lima de Oliveira

Por Poliglota com informações metrópoles.com

Conflitos de grupos internos levaram a troca do comando da Casa Militar, segundo o governador Ibaneis Rocha (MDB). Conforme o Metrópoles revelou, o emedebista exonerou, nessa segunda-feira (1º/4), o coronel Júlio César Lima de Oliveira. A demissão foi publicada em edição extra do Diário Oficial.

“A Casa Militar foi criada para cuidar da segurança do governador. Coloco a pessoa que está mais próxima. Existiam ali dentro muitos grupos que estavam com embates diários. O que eu não acho muito conveniente para quem está cuidando da minha vida pessoal e dos meus familiares”, disse, sem dar mais detalhes.

Ibaneis disse que tentou, em 90 dias de gestão, pacificar os ânimos. “Como não consegui, tive que exonerar. Foi uma questão mais pessoal”, destacou.  De acordo com Ibaneis, o coronel Júlio é “uma pessoa de muita competência”. Porém, enfrentava resistência da comandante da Polícia Militar, coronel Sheyla Sampaio.

“Ele foi extremamente fiel comigo durante esse período, mas tem horas que é preciso fazer mudanças pessoais e pontuais e, para mudar isso, foi uma decisão minha”, assinalou. O cargo de Júlio passa a ser ocupado pelo coronel Marcus Paulo Koboldt.

No início da nova gestão Ibaneis, a Casa Militar passou a ser vinculada à Secretaria de Segurança Pública (SSP). Ou seja, o órgão deixou a estrutura da Governadoria e passou a ser subordinado ao secretário de Segurança. Perdeu, portanto, o status de primeiro escalão.

Durante a campanha, esteve no meio de uma disputa de poder pelas forças policiais. O órgão responsável por garantir a segurança do governador e de seus familiares, além da administração de instalações do Palácio do Buriti e da residência oficial, chegou a ser ameaçado de extinção.