Senador Major Olímpio: “Quem dá tiro em polícia para matar tem mais é que morrer mesmo”

0
402
O cabo Fernando Flavio Flores e os 11 bandidos mortos em confronto com a Rota em Guararema.

PMs tem ordem de “sentar o dedo” e baixar CPFs de bandidos do PCC

O assassinato do cabo Fernando Flavio Flores, da Rota, ocorrido na manhã de sábado (04/05) na porta da casa dele, uniu os policiais em São Paulo. A causa dessa a mobilização é a descoberta de que existe um plano do PCC para matar policiais em represália à operação que evitou o assalto de duas agências bancárias em Guararema, no interior de São Paulo, há cerca de um mês. A operação terminou com onze ladrões mortos. Desde então, foram assassinados dois militares da Rota

Foi a descoberta de que existe um plano para matar policiais que levou o senador Major Olímpio a convocar os agentes de segurança — que ele chama de irmãos — para “sentar o dedo” nos criminosos. Disse ele:

Senador Major Olímpio

“Criminosos executaram na manhã de hoje o cabo Fernando da Rota, com mais de trinta tiros quando ele saía da casa dele. É o segundo policial da Rota executado covardemente depois da ação da Polícia Militar e, principalmente, da Rota, lá em Guararema, onde morreram onze criminosos. Estão caçando os policiais militares. Estão caçando os policiais da Rota. Mas nós não vamos nos intimidar. Policiais meus irmãos, civis, federais, rodoviários, rodoviários federais, guardas municipais, meus irmãos policiais militares, meus irmãos da Rota, redobrem as cautelas, redobrem a munição, e sentem o dedo nesses malditos. Quem dá tiro em polícia para matar tem mais é que morrer mesmo. Vamos pra cima deles, o sangue do Fernando e de tantos outros não derramou sem razão. Defensores da sociedade, vamos pra cima deles. Se tiver que chorar, vai chorar a mãe de bandido.”

Fonte original: RadarDF.com.br