PMDF: Policiais reencontram bebê recém-nascido que salvaram de engasgo

0
445
Família e policiais se reencontram três dias depois do salvamento do bebê Davi Luca (foto: Dilvulgação / PMDF)

A criança foi levada aos policiais pela mãe e tio. Com manobra rápida, policial conseguiu salvar a vida do pequeno Davi Luca.

Postado por Poliglota…

Cheio de vida e disposição. Assim está Davi Luca, o bebê de um mês e meio salvo por policiais militares do Posto Comunitário de Segurança da quadra 112 de Samambaia, na última terça-feira (14/5). Hoje, os oficiais que fizeram o salvamento, o sargento Reginaldo de Melo e o subtenente Sinomar Gomes reencontraram a criança. Para a mãe, a dona de casa Jarlene de Andrade, 32, a gratidão não cabe no peito.

Ela conta que na terça-feira, foi tomar banho e deixou o filho aos cuidados do irmão. No entanto, foi chamada de repente, quando a criança começou a engasgar com a saliva. “Eu tentei os primeiros socorros ensinados pelo médico, mas não estava dando certo. Aí lembrei do postinho policial perto de casa e corremos”.

Lá, encontraram os policiais de serviço e pediram por ajuda. A criança foi entregue ao sargento de Melo que imediatamente iniciou a manobra de Heimlich, procedimento utilizado em situações do tipo. “O policial militar não tem o treinamento técnico como médico ou enfermeiro. A gente tem uma coisa teórica”, afirma o sargento. “Quando chegaram eu tomei um susto. Ele estava sem vida. Roxo, sem respiração, sem nada”.

Ele conta que pediu ajuda a Deus, colocou a criança de costas e, enquanto o subtenente massageava as costas de Davi, ele conseguiu desenrolar a língua do bebê, que obstruía as vias respiratórias. Logo em seguida, o choro do menininho trouxe alívio para os policiais e para a família. “Nunca tinha feito nada do tipo, então foi muito emocionante”.

Para Sinomar, a situação também foi inédita. “Quando a criancinha conseguiu respirar e ouvimos o chorinho, a sensação foi de ajudar uma vida”. Foram os próprios policiais que levaram Davi Luca para o Hospital Regional de Samambaia para as primeiras avaliações. De lá, seguiram para o Hospital Regional de Taguatinga, onde o bebê passou a noite e foi liberado no dia seguinte.

Na noite de hoje (17/5), aconteceu o reencontro. “Agradeço muito a Deus e aos policiais que socorreram. Foi um susto enorme, eu já estava vendo a hora de perder meu filho. Quando ele chorou, aquilo tirou um peso de mim. Meu filho está vivo”, comemora Jarlene.

Fonte: CB