Possibilidade de aumento para servidores dos órgãos de segurança do DF (PM, BM e PCDF) aguardam sansão presidencial

0
1590
Foto: Divulgação internet

Postado por Poliglota…

Emenda que permite a concessão de aumento salarial a carreiras da segurança pública do Distrito Federal foi incluída em projeto aprovado ontem (3) pelo Congresso Nacional.

Durante a sessão do Congresso desta quarta-feira (3), a Câmara Federal aprovou a emenda que texto da PLN 02/2019 que permite aumento salarial das forças de segurança do Distrito Federal (DF).

De acordo com a deputada Bia Kicis (PSL-DF), é essencial valorizar as carreiras de bombeiros e policiais civis e militares do DF. “Esses profissionais estão há uma década sem recomposição salarial”.

O texto, aprovado na forma de substitutivo do deputado Filipe Barros, autoriza o governo federal a conceder reajuste salarial, no valor global de R$ 96,65 milhões, às polícias civil e militar e aos bombeiros do Distrito Federal. Essas carreiras são mantidas por recursos da União repassados ao governo distrital por meio do Fundo Constitucional do DF.

A matéria seguirá para sanção presidencial.

Controvérsias

Possibilidade de reajuste para policiais do DF gera divergência no Congresso

A líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), defendeu a aprovação do projeto (PLN 2/19) que possibilita o pagamento de bônus a peritos médicos do INSS para combater fraudes. “Se há recurso retirado do bolso do cidadão, queremos que ele volte para os cofres públicos na prestação de serviços públicos”, disse.

Vice-líder do Novo, o deputado Tiago Mitraud (MG) concordou com o pagamento do bônus, mas criticou emenda ao texto para permitir aumento salarial das forças de segurança do Distrito Federal (DF). “O País está gastando mais do que arrecada. Não é momento de aumentar salário, o Brasil precisa enxugar seus gastos”, afirmou.

Já de acordo com a deputada Bia Kicis (PSL-DF), o substitutivo é essencial para as carreiras de segurança do DF. “Eles estão há uma década sem aumento, sem recomposição salarial.”

Por outro lado, o líder do Psol, deputado Ivan Valente (SP), argumentou que não é possível aceitar incentivos a peritos para não conceder aposentadorias. “Querem incentivar o perito do INSS a barrar aposentadorias de doentes, idosos. É mais uma perversidade do governo Bolsonaro”, criticou.

Com informação da Agência Câmara

ACESSE AQUI O RELATÓRIO