União de escolas de samba do DF traçam metas para o desfile carnavalesco de 2020

0
112

No encontro com o secretário de Cultura que ocorre na próxima semana, a pauta de discussão passará pela importância da profissionalização do carnaval do DF.

Postado por Poliglota…

Após amargar cinco anos fora do cenário carnavalesco do DF, as 21 escolas de samba se movimentam para voltarem a passarela do carnaval de 2020. Na próxima semana dirigentes das agremiações se reunirão na Secretaria de Cultura para traçar as metas dos desfiles do próximo ano.

Aos poucos, a escolas de samba vão buscando espaços na realização do carnaval de 2020, buscando desempenhar um papel importante na cadeia produtiva da geração de renda e emprego no Distrito Federal.

A promessa de campanha do governador Ibaneis Rocha começa a se materializar com o retorno triunfal dos desfiles das 21 escolas de samba que ficaram por cinco anos vetadas do cenário carnavalesco da capital federal por falta de apoio do GDF.

No ano em que Brasília fará 60 anos, a tradicional escola de samba Unidos de Vila Isabel, do Rio de Janeiro homenageará a capital da República.

O contrato assinado pelo governador Ibaneis Rocha, firmou com a agremiação carioca, o exercício da “promoção de Brasília no maior Carnaval do mundo” e a realização de capacitações com escolas de samba do Distrito Federal.

A iniciativa do governador encheu de ânimo o mundo do samba que começou a se movimentar. As atividades nas quadras já estão entrando no ritmo e as majestosas baterias aquecendo para a chegada do Carnaval.

Na próxima semana, os dirigentes das agremiações carnavalescas estarão reunidos com o secretário de Cultura Adão Cândido, onde discutirão metas a serem alcançadas no carnaval do próximo ano.

Em conversa com o Radar-DF, neste sábado (24/08), Geomar Leite, ex-presidente da União das Escolas de Samba e Blocos de Enredo do DF e atual diretor financeiro da entidade, afirmou que apesar das escolas de samba do DF terem ficado de fora, por cinco anos, sem desfilar na passarela do samba, as agremiações nunca deixaram de se movimentar dentro de suas próprias quadras.

“As atividades das nossas escolas nunca se resumiram aos dias de desfiles nas passarelas. Elas transformam suas quadras em espaço cultural permanente e desenvolvem um trabalho social importante dentro de suas comunidades. No próximo ano vamos diversificar oferecendo cursos de gastronomia, cenografia, carpintaria, decoração, música precursão, teatro e dança”, garantiu.

No encontro com o secretário de Cultura a pauta de discussão passará pela importância da profissionalização do carnaval do DF. Diante da demonstração de interesse do governador Ibaneis Rocha que não quer apenas dar o peixe, como também ensinar as agremiações carnavalescas a pescar.

Geomar Leite afirmou que a ajuda do governo é importante nesse processo já que o espetáculo realizado pelas escolas de samba do DF se inseriu na cadeia produtiva de geração de renda e emprego para milhares de pessoas.

“A ajuda do governo é necessária para movimentar a economia. No entanto, estamos conscientes que é preciso buscar melhorias na gestão das escolas de samba para aumentar a participação de financiadores e parceiros comerciais”, apontou ele.

Fonte: RadarDF