Valparaíso: Pábio continua favorito, apesar de Lêda Borges entrar na disputa

0
300

Postado por Poliglota…

De acordo com matéria publicada pelo Jornal Opção, o prefeito de Valparaíso de Goiás, Pábio Mossoró, deve deixar o PSDB na próxima semana e se filiar ao MDB.

A decisão foi tomada por causa de desavenças políticas com a ex-prefeita e atual deputada estadual, Lêda Borges (PSDB-GO), que pensa em sair candidata à prefeitura pelo partido, minando as chances do prefeito de disputar a reeleição.

Segue uma análise sobre a possível candidatura de Lêda e o favoritismo de Pábio:

Dívida paga com juros

Foto: Reprodução

O apoio de Lêda foi fundamental para garantir a vitória de Pábio na eleição de 2016. O slogan “Sou Pábio e sou Lêda, sou Lêda e sou Pábio…” colou no imaginário popular como a letra do meme “Caneta azul, azul caneta”. Todavia, a parlamentar também contou com a adesão de Mossoró na sua campanha de reeleição à Assembleia Legislativa, em 2018.

Na condição de prefeito do município, o apoio de Pábio foi importante para que Lêda conseguisse ficar mais quatro anos no Legislativo goiano, mesmo diante do enfraquecimento do marconismo no estado, o que prova que o gestor municipal está bem avaliado pela população valparaisense. Além disso, o prefeito sempre trabalhou em favor da tucana em pleitos passados.

Apoio de dois governadores

Com sua ida ao MDB, Pábio deverá receber o apoio dos governadores de Goiás e do Distrito Federal, Ronaldo Caiado (DEM) e Ibaneis Rocha (MDB), respectivamente.

Ninguém pode menosprezar a força da máquina do estado em uma eleição. Arquinimiga política do governador goiano, Caiado não mediria esforços para eleger Mossoró em uma disputa contra Lêda.

Ibaneis também poderá entrar no embate em favor do prefeito, já que ambos serão do mesmo partido.

Isolamento político

Com a derrocada do marconismo, Lêda se tornou opositora ferrenha de Caiado e acabou ficando isolada na Assembleia Legislativa. Fora isso, o temperamento impositivo da parlamentar tem afastado antigos aliados, como o deputado federal Célio Silveira (PSDB-GO).

Além de Célio, o deputado estadual Diego Sorgatto, e a prefeita do Novo Gama, Sônia Chaves, ambos correligionários da ex-prefeita de Valparaíso, não querem proximidade com ela por conta de desavenças.

Fragilidade jurídica

Uma candidatura de Lêda Borges à prefeitura de Valparaíso pode ser contestada na Justiça posteriormente. Em agosto, o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) aceitou a denúncia de corrupção passiva apresentada pelo Ministério Público contra a deputada estadual.

A acusação diz que a então prefeita teria recebido R$ 360 mil, em forma de doação eleitoral, para aprovar empreendimento imobiliário, favorecendo construtoras, como mostra a matéria publicada pelo jornal Diário da Manhã (abaixo), de 23/8/2019.

Foto: Divulgação

Se condenada, Lêda poderá cumprir pena que varia entre seis e 26 anos de reclusão, além de ter o mandato cassado e perder os direitos políticos.

Se porventura vier a ser candidata, a denúncia acatada pelo TJGO pode ser explorada durante a campanha, gerando desgaste e instabilidade para a sua candidatura, favorecendo Mossoró.

Cenários diferentes

O panorama político do próximo ano será bem diferente daquele de 2016. Na época, os munícipes tinham uma espécie de dívida política com a ex-prefeita.

Em 2012, quando o PT ainda estava no auge no plano nacional, a população quis mudar e elegeu a professora Lucimar Nascimento (PT), que derrotou Lêda. Com o mal desempenho da petista à frente da prefeitura, a nostalgia tomou conta dos valparaisenses. De fato, a gestão de Lêda Borges era melhor que a de Lucimar.

Como forma de compensação, Valparaíso deu um mandato de deputada estadual para a ex-prefeita e elegeu o candidato apoiado por ela à prefeitura. Ano passado, o município reelegeu Lêda como deputada.

A dívida da cidade com a ex-prefeita também foi quitada com juros e correção monetária. Dessa forma, a parlamentar não tem mais o mesmo poder eleitoral de outrora, nem a máquina do estado a seu favor.

Com ou sem Lêda

Diante de todos os argumentos apresentados, Pábio Mossoró ainda permanece como o favorito para a disputa do próximo ano.

Resta agora ao prefeito costurar uma base de apoio sólida e ter bastante precaução com aqueles que estão em seu governo, mas gritam aos quatro cantos da cidade: “Lêda prefeita”.

Fonte: Blog do Fred Lima