Depois da Associação de Oficiais, Fórum das Praças se manifesta acerca do reajuste dos militares do DF

0
1036

Em uma nota divulgada nas redes sociais, o Coordenador do Fórum das Associações de Praças da PMDF, Cel RR Mauro Manoel Brambila, declarou que nem mesmo a reunião realizada ontem com o comandante da PMDF, Cel Pontes, foi o suficiente para conter a insatisfação em relação ao tratamento dado aos militares do DF na questão do reajuste de 37% que havia sido questionado pelo Presidente Jair Bolsonaro.

Segundo Brambila, não houve tempo hábil para análise da proposta e muito menos discussão com as categorias envolvidas, PM e BM. De acordo com ele, em momento algum o Fórum aprovou ou referendou a proposta.

Ainda de acordo com Brambila, “A referida proposta tinha por finalidade dispensar tratamento isonômico às categorias que integram as forças de segurança pública do Distrito Federal, coisa que não aconteceu e, inclusive, contrariando uma vontade do Presidente da República, Jair Bolsonaro, que afirmara que “ou seria igual para todos ou não teria diálogo”.

Nas contas de Brambila e sua equipe técnica, foi constatado que há uma diferença mínima de 10% a mais para os policiais civis em detrimento dos militares.

Brambila afirmou em nota que continuarão defendendo a proposta elaborada pelas associações e entregues originalmente ao governador Ibaneis Rocha pelo senador Izalci Lucas (PSDB), a qual mantém a isonomia entre as remunerações líquidas dos agentes de segurança pública do DF, bem como suas datas para a concessão.

Leia a nota do Fórum das Associações

FÓRUM DAS ASSOCIAÇÕES REPRESENTATIVAS DOS POLICIAIS MILITARES E DOS BOMBEIROS MILITARES DO DISTRITO FEDERAL ASAPOL – ASBOM – ASSOR PM/BM – ASS/ARMILC – ASOF/PMDF – ASSOF/CBMDF – CABE – CIFAIS – CAP – CLUBE DOS BOMBEIROS – COCBMDF – CRESSPOM – COPOM/PMDF – OSIDEMCI 

NOTA DE ESCLARECIMENTO 

Ontem, 20/11/2019, fomos convidados para uma reunião no Quartel do Comando Geral da PMDF, a fim de tomarmos ciência da proposta do GDF sobre a recomposição salarial da PMDF e CBMDF. Não tivemos tempo de analisar os dados técnicos. Diante desse contexto, o Fórum tomou a decisão de não entrar no mérito da proposta que seria anunciada pelo Governador Ibaneis e sim que a proposta fosse entregue à Presidência da República, pois tínhamos consciência que não teríamos acolhimento das nossas pretensões pelo GDF. Em momento algum o Fórum aprovou ou referendou a proposta, visto que não tivemos qualquer oportunidade de participar da sua construção.

O Senhor Presidente da República condicionou o envio do reajuste da PCDF ao Congresso Nacional somente se fosse dado aos militares do Distrito Federal o mesmo índice de reajuste. Ele estipulou um parâmetro que deveria ser adotado pelo GDF e que o Governador se manifestou publicamente concordando. A partir desse momento o GDF sempre se manifestou publicamente de que a premissa seria a igualdade no liquido das remunerações dos órgãos de segurança pública do DF, como consta no ofício de encaminhamento do Governador à Presidência da República: “A referida proposta tem por finalidade dispensar tratamento isonômico às categorias que integram as forças de segurança pública do Distrito Federal.”

Após análise técnica da proposta apresentada foi constatado que há uma diferença no liquido da ordem de 10% a mais para os policiais civis, contrariando a orientação do Presidente da República, bem como o discurso do próprio GDF. 

Diante do exposto, declaramos que continuamos defendendo a proposta elaborada pelas associações e entregue pelo Senador Coordenador da Bancada Federal do Distrito Federal ao Governador Ibaneis e ao Presidente Jair Bolsonaro, a qual mantém a isonomia entre as remunerações líquidas dos agentes de segurança pública do DF bem como as datas para concessão dos reajustes.

Brasília-DF, 21 de novembro de 2019

Coordenação do Fórum das Associações