Linha de crédito facilita pagamento de 13º salário por empresas

0
144

Progiro do BRB visa subsidiar a obrigação trabalhista sem alterar significativamente fluxo de caixa da empresa

Postado por Poliglota…

O Banco de Brasília (BRB) conta com uma linha de crédito exclusiva voltada para os empresários que precisam de capital extra para quitar os pagamentos do 13º salário dos funcionários: eles podem optar pela solução de crédito Progiro 13º Salário.

A opção atende desde o pequeno até o grande negócio e visa subsidiar a obrigação trabalhista sem alterar significativamente o fluxo de caixa da empresa ou tirar a capacidade de ela continuar no mercado. A expectativa do banco é atender 2 mil empresas neste ano.

“Para não ter que pegar um recurso da empresa e fazer uma utilização imediatamente, faz-se uma operação de crédito, pagando de forma parcelada”, explica Dario Garcia, diretor de Rede e Canais do BRB.

A linha de crédito permite que o impacto financeiro do pagamento do 13º salário para os funcionários seja amortecido durante todo o ano. Quem optar pelo Progiro 13º Salário tem carência de até dois meses e pode parcelar o pagamento em até 12 meses.

A taxa de juros é de 0,78% ao mês para os clientes que têm folha de pagamento no BRB e de 1,70% para o empresário que não tem. No ano passado, os índices eram de 1,99% e 2,30%, respectivamente.

Garcia explica que, com a diferença na taxa de juros, o empresário que tiver interesse consegue migrar para o banco a tempo de contratar a linha de crédito para o pagamento do benefício, que tem a primeira parcela prevista para até o próximo dia 30.

VINÍCIUS SANTA ROSA/METRÓPOLES

Dario Garcia, diretor de Rede e Canais do BRB: crédito específico para não atrapalhar fluxo de caixa

Característica da época

O diretor do banco público explica que o fim de ano é um período em que o fluxo de caixa é menor nas empresas. “Agora o comércio está fazendo o estoque para o Natal, então está gastando mais”, exemplifica. “Por isso, o fim de ano é quando a gente tem uma procura maior”, diz o diretor do BRB.

Garcia aponta que a maioria das empresas que pedem pela linha de crédito atua no setor de serviços. Os maiores valores gastos nesses negócios é com funcionários.

Outra característica dos clientes que optam por esse tipo de crédito é a baixa inadimplência, pois o curto prazo de pagamento é um dos fatores que contribuem com o índice menor de não cumprimento do contrato. O banco analisa ainda o funcionamento da empresa. “O negócio que está em funcionamento e faz uma operação de crédito como essa, no geral, tem bastante capacidade de pagar”, explica Garcia.

A linha de crédito Progiro 13º Salário é oferecida pela instituição há aproximadamente 20 anos, porém, a partir deste ano, traz uma novidade: os empresários poderão optar pela linha de crédito quando acharem mais conveniente, não somente nos últimos meses do ano.

“Há quem contrate a linha de crédito no meio do ano para aplicar o dinheiro”, afirma o diretor de Rede e Canais do banco. Garcia aponta ainda o caso de negócios que pagam a primeira parcela do 13º salário no primeiro semestre do ano.

Pagamento extra

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) estima que o pagamento do 13º salário vai injetar R$ 214 bilhões na economia brasileira. No Brasil, aproximadamente 81 milhões de trabalhadores serão beneficiados com o rendimento adicional.

O valor pago a trabalhadores do mercado formal representa a remuneração integral dividida pelos meses trabalhados. Ou seja, se o empregado prestou serviço apenas por seis meses, o valor recebido de 13º será o salário integral dividido por seis. Parcelas de natureza salarial, como horas extras, adicionais e comissões, também entram no cálculo.

A primeira parcela do salário é paga pelos empregadores até o próximo dia 30. Já a segunda deve cair na conta do trabalhador até 20 de dezembro. De acordo com o Dieese, o Distrito Federal tem o maior valor médio para o 13º no país, de R$ 4.558.

Fonte: Metropoles.com