PSB Nacional diz NÃO a Dilma, mas Rolemberg diz SIM

0
1176

Na contramão da história, contra tudo e contra todos, Rodrigo Rollemberg segue apoiando Dilma até o fim e pede ao PSB local que não se envolva na mobilização nacional que ocorre neste domingo para exigir o impeachment de Dilma. A decisão do PSB Nacional informando que o partido decidiu passar “em definitivo” para a oposição e que o governo petista perdeu “a credibilidade e a capacidade de governar”, não mudou em nada a posição do governador do Distrito Federal.

O Partido Socialista Brasileiro parece está sintonizado com os graves acontecimentos que nos últimos dias serviram para abalar ainda mais o governo Dilma. Na sexta-feira passada quando o ex-presidente Lula era levado coercitivamente pela Policia Federal, para esclarecer suspeitas investigadas pela Operação Lava Jato, a direção nacional do PSB, por meio de nota, anunciava a decisão de abandonar de vez o governo petista.

Ontem, quando o Ministério Público de São Paulo pedia a prisão preventiva do ex-presidente, o partido socialista saiu novamente na frente para reiterar a sua posição por meio do seu programa na TV. Porém, nada disso tornou-se algo relevante para o governador Rodrigo Rollemberg, cacique do partido socialista no DF.

Na contramão da decisão partidária, o governador de Brasília bateu o pé contra a decisão do PSB nacional e já manifestou por diversas vezes que não deixará Dilma, reprova com veemência a campanha do impeachment, o qual classifica como “golpe”, e nem está preocupado com as vozes que vem das ruas como a da mega mobilização nacional prometida para este domingo (13).

Sondado, o presidente da legenda local Antonio Fúcio disse ao Radar nesta quinta-feira (10), que o governador Rollemberg tem-se manifestado publicamente de não ir para a oposição seguindo a mesma linha e entendimento dos governadores socialistas Paulo Câmara (Pernambuco) e Ricardo Coutinho (Paraíba).

Quanto ao PSB Local, ele afirmou que a legenda seguirá a decisão nacional, mas ressalta que normalmente as resoluções do Partido se dão em razão de um longo debate nas bases do PSB. Informou ainda que a Executiva do partido no DF já se reuniu para debater a decisão do PSB Nacional, anterior a nota do presidente nacional, Carlos Siqueira e que está aguardando a convalidação dessa nota pela executiva nacional para que o tema seja debatido no âmbito da executiva regional.

Perguntado sobre os impactos que essa decisão partidária de partir para a oposição ao governo petista, já que o governador andou em busca de recursos federais para impulsionar obras no DF, Antonio Fúcio disse esperar que a decisão do PSB Nacional não seja motivo de interferências nos investimentos do Governo Federal no DF.

Quanto o movimento popular que sairá às ruas neste domingo em todo o Brasil, para exigir o impeachment de Dilma Rousseff, o dirigente do PSB-DF adiantou que a legenda não tomou nenhuma decisão de participar desse movimento e que a militância está livre a agir de acordo com sua consciência.

Fonte: Da Redação Radar Condomínio