PM vai reforçar segurança em estações e pátios do metrô do DF

2924
Policiais militares se posicionam na estação Central do Metrô durante protesto contra aumento na tarifa do transporte em fotografia de setembro de 2015 (Foto: Michele Mendes/G1)

Acordo vale por 2 anos; ação ocorrerá de segunda a sexta, entre 15h e 23h. DF registrou 1,4 mil roubos a pedestres em 2016, diz Segurança Pública.

O Metrô e a Polícia Militar assinam nesta quarta-feira (16) um acordo para reforçar o policiamento nas imediações das estações, pátios e vias do sistema metroviário. O termo de cooperação tem duração de dois anos. O policiamento ostensivo irá considerar as informações transmitidas pelo sistema metroviário nos momentos de maior fluxo de pessoas, horários das ocorrências e locais para melhor otimização e gestão do policiamento empregado.

Saiba mais

Cartazes em estação do metrô na Asa Sul alertam usuários sobre crimes

Roubo a pedestres no DF sobe 84% de 2012 a 2015, aponta relatório

Roubo a residência subiu 58,7% até maio no DF, em relação a 2015

Menores têm ligação com 40% dos homicídios do DF, mostram dados

O policiamento no Metrô será executado por duplas de policiais militares, de segunda a sexta-feira, das 15h às 23h. Eles ficarão cerca de 30 minutos em cada estação, seguindo para a próxima estação embarcados nos vagões, percorrendo assim toda a extensão do sistema metroviário durante o serviço.

De acordo com levantamento do Metrô, em 2016, 170 ocorrências criminais foram registradas dentro das estações. Em 2015 houve 335 casos, e no ano anterior, 384. A Polícia Militar pode atuar nas estações, mas a segurança é realizada principalmente por servidores da companhia e vigias terceirizados. Os crimes que ocorrem na área externa das estações não entram na conta do Metropolitano, porque são de responsabilidade da PM.

“Nenhum empregado do Metrô pode fazer a vigilância armada no Metrô. No novo contrato, com uma economia de R$ 7,2 milhões por ano, eu só admiti vigilante armado porque espero a liberação da LRF [Lei de Responsabilidade Fiscal] para contratar os agentes de segurança que passaram no concurso. O cara que mais quer contratar o servidor aprovado em concurso é o presidente do Metrô, tanto é que prorrogamos por dois anos a validade do último concurso”, afirmou.

No início de setembro, usuários do metrô colaram cartazes na área externa da estação 112 Sul para avisar os passageiros sobre a criminalidade na área. Em um dos avisos afixados, as vítimas alertavam: “Cuidado! Fomos assaltados nessa calçada por um casalzinho muito jovem. Tinha cerca de 20 anos e uma faca.” Outros cartazes informam aos pedestres que o assalto ocorreu às 16h e que os arredores se tornaram “regiões sensíveis”.

Um levantamento da Secretaria de Segurança Pública do GDF registra 1.439 ocorrências de roubo a pedestres em Brasília entre janeiro e maio deste ano. Em nota enviada à época, a Polícia Militar reafirmou que a segurança nas estações de Metrô é de responsabilidade da companhia e que faz rondas constantes nas áreas externas e tem aumentado o número de prisões.

Fonte: G1 DF