Distritais podem ficar sem mandatos, em 2018, se fizerem o que Rollemberg quer

878
Nos últimos quatro dias, o governador Rollemberg fez intensas “negociações” com distritais, alguns deles de oposição, para meter a mão no dinheiro da aposentadoria dos servidores. A arapuca foi armada, mas a sociedade está de olho.

A crise instalada entre o Buriti e a Câmara Legislativa por ter rejeitado uma emenda do governo que chupava o dinheiro do fundo de aposentadoria dos servidores para bancar ações eleitoreiras de Rodrigo Rollemberg, pode se transformar em algo bem pior, caso os deputados distritais voltem atrás na sessão que votará o orçamento de 2018 na tarde desta terça-feira (19/12)

Por Toni Duarte

A população não aguenta mais ser enganada pela desgastada classe política do DF. Aí merece uma pergunta: Como  o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) consegue aprovar tudo que quer na Câmara Legislativa, principalmente  no apagar das luzes de cada ano contando com apenas dois deputados do seu partido?

A resposta dada ao Radar, por um ex-distrital, foi na lata: “é por causa do cala boca que muitos recebem, esquema que inclui alguns da chamada oposição”, disse.

Na quinta-feira passada (14/12), durante a sessão legislativa, a crise ficou exposta entre o GDF e o presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Joe Valle (PDT).

No meio do Orçamento de 2018 enviado pelo governo a CLDF foi detectado um penduricalho de R$ 1, 211 bilhões que foram votados em separado. A votação da emenda gerou um placar de 10 a 10. No “voto de Minerva”, o presidente da Câmara, Joe Valle (PDT), derrubou a alteração.

A dinheirama pertencente ao fundo do Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal (Iprev/DF), segundo os deputados que votaram contra, seria destinada pelo governo para turbinar atividades trivial e eleitoreira, como casamentos comunitários focados na sua campanha de reeleição do governador Rodrigo Rollemberg.

O governo publicou nota na imprensa para qualificar o Poder Legislativo de irresponsável por ter rejeitado uma emenda de R$ 1,211 bilhão decepado do orçamento de 2018.

Insatisfeita com o resultado, a base aliada de Rollemberg abandonou o plenário da Câmara Legislativa prejudicando a votação do orçamento estimado em R$ 47 bilhões para 2018.

Na reação, Joe Valle chama Rollemberg de “mentiroso e moleque”. Reiterou a mesma convicção em discurso feito na festa de confraternização do Senadinho da Boca do Povo, no sábado passado, na Feira do produtor do Jardim Botânico.

Nesta terça-feira,  o destino do fundo de aposentadoria dos servidores públicos será colocado novamente no plenário da Câmara Legislativa. Nos últimos quatro dias, o governador Rollemberg fez intensas “negociações” com distritais, alguns deles de oposição, para meter a mão no dinheiro da aposentadoria dos servidores. A arapuca foi armada, mas a sociedade está de olho.. A arapuca está armada, mas a sociedade está de olho.

Fonte: RadarDF