A desastrada chancela do governo

1487

O governador Rodrigo Rollemberg, trouxe consigo o DNA dos coronéis do Nordeste, onde a força e a prepotência estão sempre presentes.

Chegou de mansinho no DF, pegou a garupa de políticos ilustres e foi crescendo na política, sem fazer força, discutir com a comunidade os problemas existentes e formar uma equipe técnica de excelência. Assim foi, consultando videntes e babalorixás, fazendo trajetória ascendente na vida pública.

Como muito dos políticos sem estofo pregava uma política nova, de modernidade, que escutava existir aqui é alí, mas que nunca havia vivenciado.

Não sabe que podia ter feito a melhor política pública habitacional, sem destruir moradias…

Seus apalermados assessores esqueceram de lhe dizer que podia sim colocar a Terracap para fazer inúmeros projetos habitacionais para abrigar pessoas de baixa renda. As retiradas de moradias que agrediam o meio ambiente, feitas dentro da ordem e do  respeito, teriam a aprovação de toda a comunidade. Mas nada disto aconteceu…

E assim foi sem gestão, de forma impensada foi fazendo um governo desrespeitoso, agredindo pessoas, comunidades e organizações, conseguindo os justificáveis 92% de rejeição.

Diante da derrota já prenunciada, o seu caráter coronelista extravasou a máscara de socialista que tem usado e a toda hora comete, aqui é alí, deslizes que demonstram  cada vez mais a dubiedade de seu comportamento.

A mais recente deplorável atitude foi a chancela de  “Falso” colocada por seu Secretário de Comunicação em um artigo escrito por um dos mais respeitáveis blogueiros do Distrito  Federal.

Igual menino de escola primária, o antigo Secretario de Comunicação de Roriz, hoje a serviço de Rollemberg, optou por simplesmente chancelar com a palavra “Falso” o artigo que contava a existência de penetras do governo nas reuniões políticas de adversários do governador.

Pela gravidade da denúncia relatada no Blog Radar,  o secretário não podia fazer o papel de tiete do governador e raivosamente agredir um jornalista. Tinha, sim, que informar por meio de Nota Oficial o que o governo reconhece como verdade. Está é a regra. Podia questionar até judicialmente, mas jamais fazer papel de empregado desesperado, defendendo o empregador.

A equipe, senhor governador, ou ajuda o governo a crescer ou a ser destruído. Ninguém dá o que não tem.

Um pedido de desculpas, pela forma lastimável de como seu governo reagiu, pode ser o primeiro passo para reestabelecer relações com a respeitada Associação Brasiliense dos Blogueiros de Política- ABBP.

Afinal, desrespeitou um, desrespeitou todos.

MCLNetto