“Policial Militar salva bebê que se engasgou com leite na Ceilândia”

0
731
Reprodução - Metropoles

O soldado Eduardo Moutinho, 27 anos, conta como socorreu criança de quatro dias de vida, que se engasgou com leite em Ceilândia

Por Poliglota via Metropoles.com

Uma bebê com apenas quatro dias de vida foi salva por policiais militares, em Ceilândia. Isadora se engasgou com leite materno na noite de segunda-feira (4/3). Populares pediram socorro aos PMs que passavam perto da casa da família da menina, na QNM 4, em Ceilândia. O soldado Eduardo Moutinho, 27 anos, realizou os primeiros socorros e diz que essa foi a “ocorrência mais tensa” que atuou.

Quando os militares chegaram ao local, encontraram a mãe desesperada com a bebê nos braços. A criança, segundo o soldado, já estava muito roxa e perdendo os movimentos.

“Ela tinha bolhas de leite saindo pelo nariz e pela boca. Fui dando as batidinhas nas costas e cheguei a ouvir um chorinho bem baixo. Decidimos levá-la de viatura para o hospital, uma vez que a mãe informou ter ligado para o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e que eles não tinham ambulância”, Eduardo Moutinho, policial militar do Distrito Federal

Ao chegar próximo ao Hospital Regional de Ceilândia (HRC), os policiais viram uma ambulância do Corpo de Bombeiros e a fecharam com a viatura. Os bombeiros concluíram os procedimentos e a bebê foi voltando a respirar.

“Na hora, tentamos manter a calma para passar segurança à família e realizar o procedimento. Mas depois que a adrenalina baixou, sentimos e compreendemos tudo que aconteceu. Nunca havia presenciado uma ocorrência dessas”, disse o militar, que está há cinco anos na corporação. A criança foi recebeu alta na madrugada desta terça-feira (5).

Além do soldado Eduardo, a equipe que atuou na ocorrência é composta pelo sargento Gardiner Chaves Ferreira, que conduzia a viatura, e o soldado Diego Xavier.

Essa não é a primeira reclamação que a reportagem recebe referente à falta de ambulâncias do Samu neste Carnaval. No domingo (3), uma leitora disse ter ligado para o 192 e foi informada de que não havia viatura em Taguatinga.

Questionada sobre o problema, a Secretaria de Saúde informou que o Samu dispõe, normalmente, de 39 viaturas, incluindo o aeromédico. “Nessa segunda-feira (4), havia 35 recursos disponíveis, sendo dois deles para atividade de prevenção em blocos de Carnaval com mais de 100 mil pessoas”, diz a nota.

Sobre o chamado da bebê engasgada, a pasta afirmou que, entre as 19h30 e as 20h30 de segunda-feira, o Samu recebeu cinco solicitações em Ceilândia, quatro conversaram com o médico plantonista, mas nenhuma delas foi sobre o caso da bebê.