Bolsonaro foi o primeiro grande gestor a focar na palavra “equilíbrio”, diz Onyx

107

Em entrevista à Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno (ABBP), o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro foi o primeiro grande gestor no Brasil e em boa parte da América que chamou a atenção para a palavra “equilíbrio”.

O ministro fez um preâmbulo com foco na trajetória do governo Bolsonaro, destacando as reformas implementadas e seus reflexos que foram positivas para combater a pandemia da Covid-19 e as consequências para a economia.

Segundo ele, a situação econômica estaria pior. O país vinha bem antes da pandemia, mas o sobressalto do mundo todo, perante a pandemia, não só no Brasil, puxou o freio de mão na economia globalmente. Então o país teve que lidar com o equilíbrio entre a retomada econômica e a saúde.

Nas palavras de Onyx, o presidente deu todas as condições para que o Ministério Saúde pudesse equipar os hospitais, melhorar a condição de atendimento do SUS e toda a estrutura para que o Brasil, um país continental, pudesse fazer o enfrentamento dessa pandemia, que no início de janeiro ninguém imaginava que iria chegar e se espalhar pelo mundo da forma como ocorreu.

Na estratégia do presidente Bolsonaro, desde o início, conforme contou Onyx, o enfoque continua sendo visualizar o todo, que são os milhões de brasileiros, que muitas vezes trabalham de dia para poder levar comida à noite para a casa deles.

“Ele (Bolsonaro) sempre chamou a atenção dos gestores estaduais e municipais, que deveriam buscar esse complexo equilíbrio, porque a fome, a miséria e o desemprego na América Latina, ao longo da última década matou muito mais do que qualquer pandemia das que aconteceram anteriormente”, disse.

Brasil resgata confiança

Na visão de Onyx, o Brasil sempre teve a falta de crença de que o próprio país pudesse dar certo. Para recuperar a confiança interna e externa foi realizado um forte trabalho. No início do governo, em fevereiro de 2018, Onix contou que levou o então candidato ao Japão, à Coreia do Sul e a Taiwan, para ver educação, tecnologia e inovação e o quanto esses três pilares são fundamentais no caminho da prosperidade das nações.

O ministro avaliou que o efeito dessas viagens foi muito forte. Lembrou que o plano de governo de Bolsonaro trazia três grandes eixos: o constitucional, o eficiente e o fraterno, que é o solidário. Segundo Onyx, o presidente comentava, durante as visitas aos países: “Como é difícil ser recebido fora do Brasil com o manto da desconfiança.”

“Era fevereiro de 2018. Ao final do ano passado, no fim de novembro, quando estivemos juntos na China, nos Emirados Árabes e a gente ouvia e via que esses países confiavam no Brasil, acreditavam e acreditam no Brasil. E recuperamos, então, tanto a confiança interna, quanto a confiança externa.”

Onyx afirmou que o Brasil foi “colocado nos trilhos no ano passado”, foram gerados mais de um milhão de empregos, claro, antes da pandemia que deu um cavalo de pau no mundo. No entendimento do ministro, foi obtida uma mudança em algo que foi secular no Brasil. Ou seja, “o cidadão, diante da autoridade pública, só era rei na hora da eleição, depois ele era súdito por quatro anos”.

“E a lei de liberdade econômica mudou esse conceito. Hoje, o cidadão, diante da autoridade pública, ele tem razão até que a autoridade pública prove em contrário. É uma das bases fundamentais a qual se organizou o grande irmão do norte, os Estados Unidos.”

Ele ainda questionou: “Imagine enfrentar a situação que nós estamos hoje se não tivéssemos feito a reforma previdenciária do ano passado que foi a maior reforma previdenciária feita de uma única vez, tanto em profundidade quanto em impacto fiscal do mundo ocidental?”

Produção de grãos otimista

O deputado licenciado do DEM, também ressaltou que, hoje, o Brasil tem condições de enfrentar essa crise. Para reforçar o otimismo, Onyx destacou que em uma conversa com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, na semana passada, soube que o mês mais grave da pandemia, o de abril, o Brasil bateu recorde de exportação de grãos.

“O maior volume de grãos exportados pelo Brasil foi em abril de 2017, com 12.3 milhões de toneladas e fechamos o abril de 2020 com 13.7 milhões de toneladas. O Brasil vai vencer esse episódio.”

O ministro salientou que a visão do todo do presidente se manifestou, mas apanhou muito quando fez isso e ele estava certo. “Cada vez mais, os brasileiros dão conta de que o presidente tinha olhado com aquele olhar apaixonado que ele tem pelo Brasil e com o senso de missão de servir o povo brasileiro e não como governos que passaram que serviram da sociedade brasileira”, complementou o ministro da Cidadania.

Missão do governo Bolsonaro

Segundo Onyx, o presidente proporcionou o surgimento desta “nova direita” no Brasil, “alicerçada numa aliança conservadora nos costumes e liberal do ponto de vista econômico”.

Ele afirmou que foram enfrentadas muitas dificuldades. Entre elas, citou que uma boa parcela da imprensa brasileira, “como bem ensinava Antonio Gramisc, foi, ideologicamente, cooptada”.

Uma outra parte foi, financeiramente, cooptada pela esquerda brasileira, que é conectada à esquerda latino-americana, através do Foro de São Paulo e à esquerda europeia”, frisou o ministro.

Ainda ressaltou que Bolsonaro estava ciente sempre que seria um combate desigual. Conforme Onyx, todos ao redor dele sabem o peço que é pago e não temem esse enfrentamento. “E espaços como vocês nos proporcionam são vitais para que a gente possa levar a verdade a toda a sociedade”, enfatizou

Onix declarou que Bolsonaro tem a consciência de que o governo tem a missão de mudar e transformar o Brasil e “temos certeza que estamos cumprindo com essa missão”.

Caminho certo

Após um ano e meio se encaminhando para dois, de mandato, Onyx acentuou que milhões de brasileiros, nas ruas do Brasil, trajando verde e amarelo, portanto a nossa bandeira, com famílias, “por mobilização pessoal, tentam se aproximar do presidente para dar uma palavra de carinho, de estimulo, a gente tem a certeza que está no caminho certo”.

De acordo com Onyx, não há temor pela imprensa esquerdista, que. “lamentavelmente, tomou conta de redes de televisão, jornais e revistas de grande circulação no Brasil”.

“A gente sabe que o preço de mudar o Brasil e dar um bom futuro para as nossas famílias e as famílias brasileiras, os filhos das famílias brasileiras requer esse combate, esse sacrifício. E a gente está preparado para isso. A gente não teme isso”, reiterou.

Esperança da nação

Agradeceu o espaço à ABBP proporcionado, agora com a entrevista coletiva, que permitiu expressar o que acredita. Além disso, possibilitou “falar de um brasileiro que é a esperança da nação”.

“Que se preocupa com cada um de nós, que fala a nossa língua, que come as coisas que a gente come, que não se preocupa com restaurantes luxuosos, nem com gastos como a gente via em governos anteriores, aonde o refinamento era o toque. Aqui, agora, não. Aqui tem um presidente que é popular que se preocupa com as pessoas e um presidente que já colocou a sua vida em risco, exatamente para poder cumprir essa missão”, prosseguiu Onyx.

Por fim, o ministro reiterou o agradecimento à “existência” da ABBP, bem como  o “trabalho, a coragem”, que “nos permitem levar a verdade a cada cantinho do Brasil”.

“Muito obrigado, que Deus proteja a todos. E que vocês multipliquem, aí, cada vez mais as pessoas que acompanham o belo trabalho que vocês fazem. E, principalmente, a verdade que vocês levam e que permite que a gente possa equilibrar no Brasil as coisas, e continuar o Brasil ostentando a bandeira verde e amarela em cada casa, em cada carro e no coração de cada um de nós”, concluiu Onyx.

Fonte: tudooknoticias.com.br