Polícia Federal prende ativista Sara Winter em Brasília

524
Foto: O Popular

A Polícia Federal prendeu a ativista Sara Winter, em uma operação realizada na manhã desta segunda-feira (15) em Brasília. Sara é líder do movimento chamado “300 do Brasil”, que esteve acampado em Brasília em apoio a Bolsonaro e foi removido no fim da última semana, por determinação do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha.

A prisão de Sara Winter foi decretada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, relator do inquérito que investiga a divulgação de notícias falsas, e também ameaças aos ministros da Corte.

Winter está entre os investigados pela Polícia Federal neste inquérito. No dia da operação, em 27 de maio, ela afirmou, por meio do perfil que mantém no Twitter, que os agentes da PF estiveram em sua casa.

Na ocasião, ela chamou o ministro do STF, Alexandres de Moares, de covarde e disse que ele não a calaria. “Levaram meu celular e notebook. Estou praticamente incomunicável”, escreveu na conta que mantém na rede social.

A prisão da ativista também foi confirmada nas redes sociais pelo “300 do Brasil”. Em mensagem no Instagram, o grupo escreveu: “Sara Winter acaba de ser presa pela Polícia Federal”.

Invasão do Congresso

No sábado (13), Sara divulgou imagens de uma tentativa de invasão ao Congresso Nacional por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que foi à área externa do Congresso.

Também no sábado, ela postou nas redes sociais que a Polícia Militar do Distrito Federal, junto com a Secretaria de Segurança, desmontou o acampamento montado pelos apoiadores na Esplanada dos Ministérios.

Winter, que é ex-assessora de confiança da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, protestou no Twitter. “Hoje às 6 (horas) da manhã a PMDF junto à Secretaria de Segurança desmantelou baixo (sic) gás de pimenta e agressões. Barracas, geradores, tendas, tudo tomado à força! A militância bolsonarista foi destruída hoje. Presidente, reaja!”

Expulsão do DEM

No começo de junho, o presidente nacional do Democratas e prefeito de Salvador, ACM Neto, assinou a expulsão de Sara Winter do partido.

ACM utilizou o código de ética e o estatuto do partido para assinar a expulsão sumária de Sara Winter, que era filiada ao diretório do DEM no Rio de Janeiro.

Fonte: CNN em atualização

(Com informações de João Vianey Bentes . Edição: Sinara Peixoto)