Fecomercio não cumpre compromisso com GDF e leitos de UTI ocupados para tratamento do COVID-19 chega a 64%

75
O documento foi assinado pelo presidente da Fecomércio. Francisco Maia, em solenidade que contou com a presença do vice-governador do DF, Paco Britto no Palacio do Buriti

Depois de prometer ajuda no combate ao Covid 19, Fecomércio faz cara de paisagem e esquece compromisso

A situação não anda muito boa para a Fecomercio-DF (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal). Depois de assinar um protocolo de intenções com o Governo do Distrito Federal, em solenidade muito prestigiada no Palácio do Buriti que contou com a presença do vice-governador do DF, Paco Britto, a Federação fez cara de paisagem e esqueceu seu compromisso.

Durante a instalação da crise da pandemia, a Federação do Comércio do DF havia se comprometido a elaborar estudo, contratar e disponibilizar “espaço destinado para o tratamento de pacientes com covid-19, encaminhados pelo sistema público de saúde do DF”, conforme chegou a discursar o seu dirigente.

A estrutura hospitalar contaria com 400 leitos, sendo 360 de internação clínica e 40 leitos de tratamento semi-intensivo.  O intuito, segundo a Fecomércio-DF, era para auxiliar na assistência contra o COVID-19 e voltado para o comerciário e para a população de baixa renda dizia. O custo? Cerca de 40 milhões de reais.

Acontece que os números de leitos de UTI ocupados para tratamento de covid-19 acabam de chegar aos 64%, o índice mais alto desde o início da pandemia no Distrito Federal, e a Fecomércio não cumpriu com o protocolo assinado o que, em tese, poderia ter diminuído esse índices de ocupações.

O DF estaria bem mais preparado para o combate ao coronavírus caso a promessa feita fosse cumprida. Da reunião, só ficaram as fotografias em que Chico Maia, presidente da entidade, posa como salvador da pátria.

Isso é uma vergonha!!!

Da redação…